Quantos fusos horários existem na Rússia?

Getty Images, Freepik
Suponhamos que você esteja em Moscou e queira ligar para um amigo em Iakutsk – quantas horas você deve adicionar ou subtrair para não acordá-lo às 4 da manhã?

O mundo está dividido em 24 fusos horários, e a Rússia cobre nada menos que 11 deles – para se ter uma ideia, os outros países que têm uma quantidade considerável de fusos horários diferentes em seu território, Estados Unidos e o Canadá, possuem apenas seis. Quando o leste da Rússia está no meio do dia útil, as pessoas que vivem nas regiões mais ocidentais do país ainda estão dormindo profundamente.

A ‘hora de São Petersburgo’

Imagine que, há 150 anos, o mundo não tinha o sistema atual de fuso horário. As cidades estabeleciam seus próprios “horários solares locais”; o meio-dia era definido quando o sol chegava a seu auge. O advento das ferrovias foi o que criou a necessidade de sincronizar com precisão o horário com outras localidades, e os fusos horários foram introduzidos – primeiro no Reino Unido, nos EUA e no Canadá, e depois em outros países. Assim surgiu o Tempo Médio de Greenwich (GMT, na sigla em inglês), ou seja, a hora em Londres, que na década de 1970 foi substituída pelo mais preciso Tempo Universal Coordenado (UTC).

No Império Russo, as ferrovias usavam a hora de São Petersburgo para todos os horários. Oficialmente, a Rússia ingressou no sistema internacional de fusos horários somente após a Revolução Bolchevique. Em 1919, o país foi dividido em 11 fusos horários com base em ferrovias e rios. Mais tarde, esses limites foram revisados, na tentativa de alinhar os horários com as fronteiras administrativas das regiões.

Mas se você pensa que a saga dos fusos horários terminou com a queda da União Soviética, engano seu. Em 2009, a Rússia decidiu reduzir seu número de fusos horários de 11 para 9 – decisão esta que foi revertida em 2014. Além disso, algumas regiões possuem diferentes fusos horários internamente. A Iakútia, por exemplo, possui agora três fusos horários distintos (UTC+9, +10, +11). Para tornar as coisas um pouco mais compreensíveis, os russos geralmente tomam como referência o horário de Moscou, e não ao UTC, e designam seus fusos horários como MSK+1 etc.

Horário de inverno para sempre?

Em 1917, a Rússia teve pela primeira vez o horário de verão, adiantando o relógio uma hora em relação ao “horário solar”. Porém, quatro anos depois, a ideia de alternar entre verão e inverno foi abandonada. Em 1930, os relógios soviéticos novamente avançaram uma hora no então chamado “tempo de decreto”.

Ao longo de 50 anos, a União Soviética viveu de acordo com essa norma até que, em em 1981, decidiu-se mais uma vez iniciar a alternância entre verão e inverno.

Em 2011, diante das reclamações de muitos russos que achavam difícil se adaptar à mudança de relógio duas vezes ao ano (argumentando, inclusive, que isso afetava negativamente sua saúde), a prática foi abandonada. Com isso, algumas regiões começaram a seguir um horário de uma hora ou, às vezes, até duas horas antes do fuso horário geográfico; isso porque as autoridades locais haviam escolhido o horário errado – neste caso, o horário de verão – como o permanente.

O governo foi então bombardeado com queixas de pessoas que não conseguiam operar normalmente durante o “superlongo e sombrio inverno russo”. Em 2014, o Kremlin decidiu que os relógios voltariam uma hora e ali permaneceriam. E é por esse motivo que, há cinco anos, a Rússia vive permanentemente no horário de inverno.

Afinal, quais os fusos horários na Rússia?

  1. Horário de Kaliningrado (KALT) (UTC+2), que cobre a região de Kaliningrado.
  2. Horário de Moscou (MSK) (UTC+3), que abrange Moscou e a porção europeia da Rússia.
  3. Horário de Samara (SAMT) (UTC+4), que abrange as regiões de Ástrakhan, Samara, Uliánovsk e Saratov, bem como a República da Udmúrtia.
  4. Horário Iekaterinburgo (YEKT) (UTC+5), que abrange as regiões da Bachkíria, Território do Perm, Kurgan, Oremburgo, Sverdlovsk, Tiumen e Tcheliábinsk, bem como as áreas autônomas de Khântia-Mânsia e Iamália-Nenétsia.
  5. Horário de Omsk (OMST) (UTC+6) abrange a região de Omsk.
  6. Horário de Krasnoiarsk (KRAT) (UTC+7), que abrange as regiões do território de Krasnoiarsk, Altai, Tuvá, Kemerovo, Novosibirsk e Tomsk.
  7. Horário de Irkutsk (IRKT) (UTC+8), que abrange a Buriátia e a região de Irkutsk.
  8. Horário de Iakutsk (YAKT) (UTC+9), que a cobre a Iakútia ocidental, o Território de Transbaikal e a região de Amur.
  9. Horário de Vladivostok (VLAT) (UTC+10), que cobre a Iakútia central e o território marítimo (Primorski).
  10. Horário de Magadan (MAGT) (UTC+11), que abrange a Iakútia oriental, bem como as regiões de Magadan e Sacalina.
  11. Horário de Kamtchatka (PETT) (UTC+12), que abrange o território de Kamtchatka e a região autônoma de Tchukotka. A diferença de horário nessa região em relação a Moscou é de 9 horas.

LEIA TAMBÉM: 80 dias sem ver o sol: as noites polares mais longas da Rússia

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies