5 coisas que mudam todos os anos na Rússia

Trabalhadores limpam as folhas que caem no Jardim de Verão, em São Petersburgo.

Trabalhadores limpam as folhas que caem no Jardim de Verão, em São Petersburgo.

Ruslan Shamukov/TASS
Dos pneus à posição em que se pesca, país passa por mudanças certeiras quando troca de calendário.

Para quem mora no país, a superstição diz que a mudança pode trazer fortuna ou tédio. Mas, seja lá o que for, ela deve ocorrer!

1. Pneus

Substituição de pneu em uma oficina mecânica em Velíki Nôvgorod.

Uma dor de cabeça para alguns e grande fonte de renda para outros: parece pegadinha, mas todo outono os carros na Rússia precisam ir para a oficina para receber pneus cravejados.

E, de novo, toda primavera eles precisam voltar para oficina e receber os pneus comuns de verão novamente.

É uma indústria incomensurável: quilômetros de prateleiras entupidas de pneus novos, velhos, extintos, podem ser encontradas por toda a Rússia. No país, optar por não trocar os pneus na troca dessas estações pode ser simplesmente mortal.

Considerando-se as condições das estradas congeladas, com superfícies fracas e a pilotagem selvagem nas ruas do país, é fácil de entender o por quê. Usar o tipo errado de pneus ainda não é crime ali, como o é em muitos países do hemisfério Norte, mas é altamente recomendável.

2. Roupas de verão/inverno

Para todos vocês aí que conseguem vestir a mesma jaqueta em dezembro ou em junho, um aviso: vocês não conseguirão repetir este feito na Rússia. Ali, os mesmo  termômetros que marcam 25 graus Celsius negativos no inverno chegam a 30 graus positivos no verão.

Então, como era de se esperar, os russos precisam de um pouco mais de espaço para guardar suas roupas que o normal. Assim, quando você finalmente encontrar o biquíni dentro de um casaco de pele, o tempo já terá mudado de novo, e será hora de vestir outras roupas.

É por isso que alguns russos reservam as roupas da estação oposta e as armazenam em outro lugar, por vezes.

  1. Águas de verão/inverno (e a pesca)
Pesca no rio Nievá com o Palácio de Inverno ao fundo em São Petersburgo.

Historicamente, a Rússia é um país de rios. Na verdade, há pouco tempo, antes da introdução das ferrovias em meados do século 19, a maior parte das mercadorias era transportada por via aquática.

Os rios são importantes hoje em dia também, e em algumas das regiões mais distantes, eles continuam a ser o único modo de transportar bens às pessoas. Uma longa viagem em um navio a vapor pelo Volga, por exemplo, com paradas nas antigas cidades russas pelo caminho, ainda são uma belíssima opção para substituir as viagens de trem. 

Mas no inverno esses rios congelam e os barcos também param. Em cidades de rios como Volgograd ou Samara (a 910 e 1.050 quilômetros de Moscou, respectivamente), as rotas de esqui de inverno e até vias para automóveis atravessam lagos e rios congelados.

Para muitos russos, o inverno é tempo de pescaria, e tem gente que fica em suas tendas – mesmo que elas sejam só um saco plástico – próximas a seus buracos de pescar por dias a fio.

  1. A dátcha
Proprietária de dátcha trabalha na terra em uma aldeia de Pankovka, na região de Nôvgorod.

A chegada da “época da dátcha” é um sinal de o verão realmente começou. A estação da dátcha (casa de campo dos russos) faz uma enorme diferença para os russos.

Os mais velhos normalmente estão acostumados a plantar e colher tomates, pepinos, endro, morangos e outras “plantas da dátcha” em seus terrenos. Durante a escassez dos tempos soviéticos, essa colheita fazia uma diferença tremenda na mesa, mas hoje em dia ela se tornou mais um hábito.

Os netos, ainda na escola ou universidade, têm tempo livre no verão e são normalmente pressionados pelos adultos para ajudar com as tarefas da dátcha. Muitos adolescentes odeiam esta incumbência, mas, depois, aos 40 anos, bate uma nostalgia e eles viram habitués nesses jardins.

Leia mais sobre as dátchas russas aqui!

5. Museus e parques

Parque em frente ao Orangerie, na propriedade de Kuskovo, em Moscou, Rússia. O parque é listado como herança cultural da Rússia.

Há mais de 100 espaços de museus (museus ao ar livre, inclusive museus de história natural e museus da natureza) na Rússia, além de incontáveis parques, florestas e outros refúgios. E eles todos mudam drasticamente com a passagem das estações.

Muitas mansões e palácios históricos na Rússia são feitos de madeira, por isso eles fecham para trabalhos de restauração no inverno – ou simplesmente por estar gelado demais no seu interior. A Propriedade Kuskovo em Moscou, é uma delas, e tem um dos mais antigos palácios de madeira da Rússia.

Outros espaços mudam completamente durante o inverno, como o parque de vista inglesa Monrepos, em Víborg (135 quilômetros a noroeste de São Petersburgo), que parece um divertido refúgio florestal durante o verão, mas vira uma magnífica paisagem rochosa nórdica durante os meses mais frios, como um fiorde da Islândia.

Em São Petersburgo, um sinal certeiro de que o inverno está chegando são as estátuas no Jardim de Verão: elas recebem caixas de madeira de proteção para armazenamento.

Quer saber mais sobre os costumes russos? Leia "Por que a grama da datcha do vizinho é mais verde?". 

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies