15 regras secretas sobre a vida no sul da Rússia

Dmitry Feoktistov/TASS
Muitos russos acreditam que viver à beira-mar ou em um lugar de clima ameno como o sul do país seja um sonho. Mas existem alguns segredos que só os moradores do Mar Negro conhecem!

1. Rinite

No sul da Rússia sempre tem alguma planta florescendo. De junho a setembro, o sofrimento dos alérgicos locais vem com a ambrósia, o girassol e outras plantas que espalham pólen. Aqui, a rinite é tão difundida quanto os turistas.

2. Nunca ter que encontrar seu carro debaixo de um monte de neve

Os habitantes locais não estão familiarizados com a noção de aquecer o motor do carro no desafogador ou desenterrar o carro debaixo de um monte de neve pela manhã. Aqui, o inverno é muito úmido e cheio de vento, mas não há neve. Se os moradores locais quiserem um pouco do inverno tradicional russo, porém, eles sempre podem aparecer na estação de esqui Krásnaia Poliana, nas montanhas do Cáucaso.

3, Trabalho freelance ou remoto

Sôtchi, Rússia.

O sonho de morar no litoral não sai barato. Os preços nessas cidades-resort são surpreendentemente altos e iguais para todos, inclusive os locais. E é difícil encontrar trabalho fora de temporada. Por isto, a opção ideal é viver aqui com um salário proveniente de Moscou - o que geralmente significa trabalhar remotamente.

4. Turismo x migração

Um aviso para que não se confunda turismo e migração é dirigido a todos os turistas que, no segundo dia de férias, começam a sonhar em se mudar para o sul. Os habitantes locais conhecem a dura verdade sobre a vida ali e, como sábios anciões, tentam transmiti-la a todo recém-chegado. Mas ninguém acredita neles!

5. A caminho da Abecásia

Estrada na Abecásia, perto da fronteira com a Rússia.

De Adler até a fronteira da Abecásia gasta-se apenas entre 10 e 15 minutos de carro. Há também micro-ônibus, ônibus, trens e, claro, táxis viajando entre os dois locais. Para alguns moradores de Sochi, sua casa fica mais próxima da Abecásia que do centro de sua própria cidade.

Infelizmente, a infraestrutura turística da Abecásia não é lá essas coisas, mas sua deslumbrante vista e frutas baratas ainda lhe rendem muitos visitantes. Assim, os residentes do sul da Rússia vão regularmente à Abecásia.

6. Nenhum apartamento com vista para o mar pertence aos moradores locais

Nada diferente de qualquer cidade litorânea em São Paulo, por exemplo? Os apartamentos de frente para a praia foram comprados por moscovitas há muito tempo ali. E os novos empreendimentos que surgem perto da praia são muito caros para os habitantes locais, por isso eles precisam se instalar nos arredores e lidar todo dia com engarrafamentos – que, aliás, são tão ruins quanto os de Moscou!

7. O sonho do apartamento para curtir a aposentadoria

Pescador no passeio olímpico de Adler.

Mesmo se o apartamento estiver nos arredores ou em uma vila próxima. Ainda assim, um apartamento próprio é obrigatório para todos os residentes do sul da Rússia.

Mesmo quem odeia o sul tenta comprar um apartamento ali para ter um lugar ao sol onde curtir a aposentadoria. Os habitantes locais acreditam que, para os aposentados, o sul é o melhor lugar do mundo e que todas as suas imperfeições desaparecem.

8. Não se toma banho de mar

Ou se toma muito raramente, no máximo duas vezes por ano. No verão, os habitantes locais estão ocupados trabalhando duro para aproveitar ao máximo a temporada turística e economizar algum para o inverno. Eles tomam banho de mar somente se tiverem em casa visitantes de outras partes da Rússia, para fazer companhia. Com o tempo, os moradores do sul param de dar a devida atenção ao mar.

9. Ir a cassinos ‘só para dar uma olhada’

Em 2017, uma zona legal de jogo foi aberta em Sochi (existem apenas quatro dessas zonas de jogos na Rússia), mas a maioria dos residentes locais, mesmo que apareçam por lá, o fazem apenas para ver os turistas gastando um salário local mensal inteiro em uma única aposta.

10. Colher os próprios mexilhões

Se uma pessoa do sul quer bons mexilhões para o jantar, vai buscá-los ela mesma! Só é preciso encontrar o equipamento necessário (um raspador e uma rede) herdados do avô e enfiados no fundo de algum armário!

11. Culpar os turistas por tudo

Para os moradores locais, são os turistas que fazem subir os preços dos supermercados e restaurantes. Mas, às vezes, os preços desafiam qualquer lógica! Por exemplo, um peixe recém-pescado no píer pode custar exatamente o mesmo que em um supermercado em Moscou, a 1.600 quilômetros de Sochi.

Além disso, os turistas criam engarrafamentos, perturbam os moradores locais à noite, transformam as ruas em um fluxo humano contínuo e, de um modo geral, são a fonte de muitos problemas sociais. Se não precisassem depender dos turistas para obter renda, os sulistas já teriam construído um muro em torno de suas cidades faz tempo!

12. Morar em uma garagem

Em Sochi, existe uma forma de moradia que dificilmente poderia ser encontrada em nenhum outro lugar da Rússia. São as chamadas garagens residenciais: garagens que foram convertidas em espaços para viver. É assim que os moradores locais resolvem o problema da habitação. Existem bairros inteiros ali compostos por garagens residenciais, cheios de famílias vivendo nelas. Habitar é lindo!

13. Ir a Krasnodar para fazer compras

Independentemente de onde você more - em Anapa ou Sochi - uma vez por mês, você fará compras em Krasnodar. Pode-se comprar boas frutas na beira da estrada e roupas a preços razoáveis ​​em grandes shoppings da cidade. Mas fazer compras em Krasnodar é uma necessidade para os moradores de cidades próximas, porque as lojas locais raramente dispõem das coisas de que eles precisam (e quando o fazem, têm preços muito altos) e as compras on-line também não funcionam bem porque o tempo de entrega é muito longo.

14. Não plantar nada

Há duas razões pelas quais os moradores de cidades turísticas não gostam de jardinagem ou de cultivar sua própria comida – algo totalmente oposto aos proprietários de datchas em Moscou e arredores e em qualquer lugar da Rússia. Em primeiro lugar, a terra é muito cara para cultivar tomates e pepinos. E qualquer pedaço de terra desocupado é usado atualmente para construir acomodações e alugá-las, elevando o preço de tudo. Vêm daí os preços terrivelmente altos das frutas e dos legumes locais.

Em segundo lugar, qualquer jardineiro do sul se depara com um inimigo formidável na forma de inúmeras criaturas rastejantes e voadoras que não congelam no inverno, se multiplicam à velocidade da luz e devoram tudo. Depois de começar a cultivar qualquer coisa, você verá de tudo: larvas devorando o interior dos tomates, moscas brancas comendo até as flores do seu canteiro e parasitas nos pepinos... Isso sem falar dos gafanhotos!

15. Não ter nada a ver com cossacos

Participantes do desfile cossaco em Krasnodar.

O território de Krasnodar é o lar de alguns cossacos durões. Eles patrulham as ruas, mantêm a lei e a ordem, guardam eventos públicos e, ocasionalmente, viajam para outras cidades russas para realizar essas tarefas por lá também.

As patrulhas cossacas há muito se tornam parte da realidade cotidiana. E todo mundo sabe que é melhor não deixá-los bravos. Caso contrário, eles podem atacá-lo com chicotes na frente de todo mundo – o que é legalizado ali!

LEIA TAMBÉM: Qual é a melhor época para visitar cada cidade turística da Rússia?

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies