Como Moscou mudou nos anos 2010 (FOTOS)

Konstantin Kokoshkin/Global Look Press
Em menos de uma década, a capital russa passou por uma transformação radical. Para quem não se lembra mais – ou ainda não viu –, eis aqui a prova.

Parque Zariadie

O parque, que conta com um salão filarmônico, uma caverna de gelo, quatro zonas climáticas e uma ponte ‘flutuante’ em forma de bumerangue sobre o rio Moscou, virou -se a nova cara da capital. Não é à toa que a mais recente área verde da cidade foi incluída na lista dos melhores lugares do mundo da revista TIME.

Inaugurado em 2017 no local do hotel da era soviética demolido Rossiya, o parque Zariadie foi projetado pelo famoso estúdio de design de arquitetura americano Diller Scofidio + Renfro.

VDNKh

O parque VDNKh, sigla em russo para Exposição dos Êxitos da Economia Nacional, costumava ser uma obra-prima eclética da arquitetura soviética. No entanto, com o tempo, os grandiosos pavilhões e fontes douradas foram se deteriorando, e a enorme área foi tomada por lojas e sujeira.

As autoridades começaram a reforma do centro de exposições em 2013, alocando quase US$ 1,6 bilhão para o megaprojeto (a título de comparação, o parque Zariadie, construído do zero, recebeu inicialmente US$ 224,4 milhões). A ideia é que esse antigo símbolo da URSS se torne uma das atrações turísticas mais famosas do mundo.

É assim, por exemplo, que o Pavilhão Metalúrgico (ex-Pavilhão da República do Cazaquistão) se apresenta agora.

Instituto de Ciência e Tecnologia Skôlkovo (Skoltech)

O edifício Skoltech, que lembra mais um estádio ou fortaleza, foi inaugurado no outono de 2018 no Centro de Inovação de Skôlkovo, a versão russa do Vale do Silício. A construção do centro de inovação começou no oeste de Moscou em 2010.

Trata-se do primeiro edifício na Rússia projetado pelo icônico escritório de arquitetura suíço Herzog & de Meuron.

E é assim que um segundo projeto do Herzog & de Meuron na Rússia – no local de uma antiga cervejaria de Moscou – será erguido.

Museu Politécnico

O projeto de reforma do Museu Politécnico, na Praça Lubianka, remonta a 2011, quando um conceito proposto pela arquiteta japonesa Junya Ishigami venceu uma licitação pública. Seu projeto incluiu a construção de um parque de dois andares anexo ao museu e a ligação com o parque Zariadie por uma passagem subterrânea.

A modernização do museu em si ainda não foi concluída – o instituto será reaberto no final de 2020. Mas a fachada e o parque com anfiteatro e piso aquecido (permitindo que palestras sejam realizadas ao ar livre mesmo no inverno) já foram concluídas. Daqui algum tempo, o parque ganhará também um café, lojas e salas de exposições.

Rua Tverskaya

A principal via de Moscou estava um pouco surrada: cheia de carros estacionados e placas feias, enfeitada com cabos de energia. Um amplo trabalho de renovação começou em 2016 e, por um tempo, como diziam os moscovitas, “a rua Tverskaya ficou cortada por trincheiras”. Como resultado, a rua melhorou drasticamente.

Tiufeleva Roscha na área industrial da ZIL

O parque Tiufeleva Roscha surgiu no local da antiga fábrica de automóveis da ZIL no sul de Moscou. O novo espaço foi desenvolvido por Jerry van Eyck, do escritório de arquitetura !melk, de Nova York, em parceria com o estúdio russo Project Meganom.

Possui uma “lagoa azul” – artificial com água azul turquesa – e uma esplanada com cobertura de madeira, caminhos para pedestres e bicicletas, palco, área esportiva com aparelhos para fazer exercícios, pavilhões e cafés.

Marginal Krasnopresnenskaya

Este é um dos muitos aterros em Moscou que passou por uma transformação desde 2011, quando começou o extenso trabalho de melhoria dos espaços públicos. O antigo asfalto foi substituído por novo piso e foram acrescentados canteiros e bancos. Agora, essa área dispõe de uma das melhores vistas da cidade de Moscou.

Entornos da estação de metrô Chistyye Prudy

Muitos moscovitas lembram-se da “noite das pás longas”. Em uma noite de 2016, cerca de 100 quiosques ilegais foram demolidos. As barracas de kebab e vários pavilhões que vendiam de tudo, desde carregadores de telefone a CDs de música, foram transformados em uma pilha de entulho. A área ao redor do pavilhão construtivista da estação de metrô Chistyye Prudy foi limpa ao mesmo tempo.

Muzeon

O Parque de Esculturas Muzeon, ao lado da Galeria Nova Tretyakov, e a parte adjacente do aterro Krimskaia, compunham um cenário triste em 2012.

Foi descoberto por acaso que, além dos antigos monumentos soviéticos, muitas esculturas bizarras também haviam sido instaladas ali na década de 1990. Todos os bustos ilegais que comemoravam personagens como o chefe de um armazém de legumes, o gerente de uma sauna e um revendedor de carros japoneses foram removidos, e a área, arrumada. Agora é um dos trechos mais populares da cidade.

Tverskaia Zastava

A praça em frente à estação ferroviária Belorussky é a primeira coisa que muitas pessoas veem ao chegar à capital russa. Quiosques espalhados por todo canto e carros estacionados irregularmente estragavam essas primeiras impressões – mas não mais.

Praça Triumfalnaia

Sua transformação foi concluída em setembro de 2015. A praça bastante cinzenta e normal, com um monumento a Vladímir Maiakóvski, foi pavimentada com granito e ganhou espaços com gramado e canteiros de flores. O local conta agora com iluminação artística e balanços românticos. O estacionamento não regulamentado também entrou na jogada – e hoje se tornou uma área para pedestres.

LEIA TAMBÉM: ‘Que horas fecha?’ e outras curiosidades sobre o metrô de Moscou

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies