Rússia proíbe voos de modelo Boeing 737 MAX, que caiu na Etiópia

Markus Mainka/Global Look Press
Mais de 50 países, incluindo, Brasil também já adotaram medida. Incidente tem semelhanças com recente queda de avião do mesmo modelo na Indonésia.

Os voos do Boeing 737 MAX em espaço russo foram suspensos pela Agência Federal de Aviação Russa (Rosaviatsia). Assim, a Rússia soma-se à lista de países que adotaram a medida após a queda de um avião da Ethiopian Airlines, em 10 de março.

A tragédia resultou na morte de 157 pessoas de 35 países.

Aleksandr Neradko, presidente da Rosaviatsia, disse aos jornalistas na semana passada que essas aeronaves já não tinham sobrevoado o país havia dois dias, e a proibição permaneceria em vigor até novo aviso.

A única companhia aérea da Rússia que possui esse modelo em sua frota é a S7. Em 12 de março, a empresa anunciou que havia suspendido a operação das aeronaves.

Na última quarta (13), a Agência Nacional de Aviação Civil do Brasil (Anac) anunciou a decisão de suspender voos com Boeing 737-8 Max.

LEIA TAMBÉM: As 10 melhores aeronaves civis soviéticas e russas 

Mais de 50 países já adotaram medida semelhante, incluindo China, Estados Unidos e membros da União Europeia.

Em outubro passado, outro avião do mesmo modelo caiu na costa da Indonésia, causando a morte das 189 pessoas a bordo.                   

A ministra dos Transportes da Etiópia, Dagmawit Moges, disse que a caixa-preta mostra “clara semelhança” entre os dois acidentes com Boeing 737-8 Max, segundo informações publicadas pelo “Wall Street Journal” no domingo (17).

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies