Por que o 1º dia de primavera na Rússia não se parece em nada com a estação das flores?

Iliya Pitalev/Sputnik
Não confie no calendário se estiver na Rússia Central – março mais parece outro mês de inverno, com montanhas de neve e nevascas por todo o lado.

Nesta sexta-feira, 1º de março, marca o começo da primavera e, em Moscou, as pessoas parabenizam umas a outras no final de outro inverno russo…só que não. Isso porque, na capital russa, o primeiro dia da primavera está assim:

Mas esse não é o pior de todos: o céu está escuro, mas a temperatura gira em torno de zero graus Celsius e, de vez em quando, pode-se até ter um vislumbre do sol.

Em geral, o mês de março na Rússia pode ser mais severo do que isso. Por exemplo, em 2018, Moscou registrou -27ºC na noite de 18 de março. Por que chamamos aquele mês invernal de primavera, ainda é um mistério para todos...

Meteorologia vs astronomia

Nesse aspecto, a Rússia não é diferente do resto do mundo – o calendário meteorológico define as estações com três meses cada. Assim, o inverno dura de 1º de dezembro a 28 de fevereiro, e a primavera começa em 1º de março e vai até 30 de abril. Essa abordagem é mais conveniente para fins de registro e baseia-se no histórico de marcações: estatisticamente, no hemisfério Norte, os meses de dezembro a fevereiro são os mais frios.

Há outra abordagem mais precisa em termos de astronomia: define o inverno como o período entre o solstício de inverno (21 e 22 de dezembro no hemisfério Norte), quando o dia é o mais curto do ano, e o equinócio vernal (20 de março), quando dia e noite tem exatamente a mesmo duração.

Prêmio de consolação

O calendário astronômico é mais difícil de usar, pois o momento exato do solstício e do equinócio mudam a cada ano: por exemplo, em 2019, o equinócio da primavera acontece às 21h58 de 20 de março; em 2020, às 03h50 do mesmo dia; e, em 2021, às 09h37. Imagine quão difícil seria contar as estações a partir desses momentos.

É por isso que na Rússia a maioria das pessoas recorre aos calendários meteorológicos. Enquanto isso, na maioria dos países ocidentais, incluindo o Brasil, as pessoas tendem a usar o astronômico.

VEJA TAMBÉM: 10 pinturas e textos que retratam a primavera russa 

Cada variante tem seus prós e contras: a abordagem astronômica é melhor para refletir as mudanças climáticas, enquanto a meteorológica é mais conveniente para estatísticas e comparações. “Lidar com frações de dados do mês inteiro em vez de frações de meses era mais econômico e fazia mais sentido – e ainda faz, de muitas maneiras. Organizamos nossas vidas mais em torno de um mês do que em estações astronômicas”, explicou Derek Arndt, do Centro Nacional de Dados Climáticos (EUA) ao “Washington Post” em 2014. Os russos parecem seguir esse ponto de vista.

Astronomicamente, porém, o começo de março ainda é inverno. Os russos se consolam com esse fato, enquanto se arrastam para trabalhar entre os montes de neve. Afinal, são apenas algumas semanas antes de a verdadeira primavera começar.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies