Parecido com neve, pólen cobre Moscou inteira todo mês de junho

Alexander Alpatkyn/TASS
Mesmo quando o inverno termina, a capital da Rússia volta a ser branca. Mas, em vez de neve, é o pólen de álamo que faz as pessoas espirrarem, ficarem se coçando e lacrimejarem.

Gosta de junho? Muitos moscovitas, não. É verdade que começa a esquentar, o sol está brilhando e você já pode deixar sua ushanka(gorro russo) em casa. Mas há uma verdadeira nevasca de álamo-branco cobrindo toda a cidade.

Se você estiver em Moscou nessa época, ouvirá “saúde!” com mais frequência do que “olá!”, porque os espirros são constantes.

Por que há tantos álamos em Moscou?

Esse problema inexistia antes da Segunda Guerra Mundial, porque não havia álamos plantados por toda a cidade. Quando as autoridades de Moscou reconstruírem a cidade após a guerra, e depois reassentaram os locais em apartamentos comunais e construíram kruschovki na década de 1950, não havia vegetação suficiente para dar aos novos bairros da cidade uma aparência aconchegante. A construção foi maciça e rápida, e o problema teve que ser resolvido de imediato.

Especialistas sugeriram então que se plantasse álamo bálsamo, devido a seu rápido crescimento. Com origem na América do Norte, essas árvores são adequadas para o clima da Rússia, capazes de crescer em clima frio e sob mínimo cuidado.

Álamos balsâmicos, no entanto, podem ser macho e fêmea – e somente esta produz pólens com sementes. Os especialistas recomendaram, assim, plantar apenas o álamo masculino, mas, por conta da pressa, a sugestão nem sempre foi seguida.

Também não havia especialistas suficientes para enviar a todos os edifícios residenciais, e muitas árvores foram plantadas em subbotniki(mutirões de trabalho voluntário para a limpeza do lixo das ruas e outros serviços comunitários).

De acordo com outra versão, algumas das árvores masculinas mudaram de gênero devido às constantes podas. Até hoje, os álamos ainda são serrados duas vezes por ano. Quando o verão dá os primeiros sinais na capital, cerca de 300 mil álamos, dos quais metade é fêmea, começam a florescer e a espalhar pólen.

Ocorre apenas em Moscou?

Não, essas árvores foram plantadas em toda a União Soviética, por isso, é possível encontrar essa penugem branca em quase qualquer cidade do antigo regime.

É perigoso para pessoas alérgicas?

O branco em si não causa alergias, mas carrega poeira e pólen alergênico. Portanto, aos primeiros sinais de uma reação alérgica, procure um médico.

O que fazer?

Estoque antialérgicos e beba água com mais frequência. Além disso, tente manter uma dieta saudável e reduza o consumo de carboidratos simples, doces e refrigerantes. Tente passar menos tempo nas ruas, faça limpezas regulares em casa e mantenha o nariz umidificado.

O que mais esperar?

Você ficará surpreso, mas esse “algodãozinho” aparentemente inocente pode gerar grandes incêndios. Algumas crianças, e até adultos, gostam de atear fogo para vê-lo queimar. O fogo, porém, pode ser intenso e se espalhar para árvores e casas.

Afinal, os álamos têm algum benefício?

Enorme – o  álamo produz grande quantidade de oxigênio e purifica o ar poluído.

E quando acaba o tormento?

A duração do período de polinização depende do tempo: quanto mais quente, mais cedo começa e termina. Via de regra, em Moscou, o fenômeno se despede em julho.

Leia também “Tudo que você sempre quis saber sobre Moscou e não tinha a quem perguntar”.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? 
Clique 
aqui para assinar nossa newsletter.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies