Rússia oferece novos programas acadêmicos para estudantes estrangeiros

Cientistas da Universidade Nacional de Pesquisa Nuclear

Cientistas da Universidade Nacional de Pesquisa Nuclear

Pavel Smertin/TASS
De cursos de curta duração a pós-graduação, instituições russas desenvolvem programas diversificados para atrair alunos de fora.

Em um discurso perante a Assembleia Federal, no último dia 1º de março, o presidente russo Vladimir Putin enfatizou o desejo da Rússia de atrair talentos do exterior, criando condições ​​e oportunidades de educação e empregos no país.

“O foco principal deve ser dado àquelas pessoas que nosso país precisa: jovens, saudáveis ​​e com boa formação. Para eles, precisamos facilitar o sistema de obtenção da cidadania russa”, declarou Putin.

Mas como as universidades do país implementam essa política na prática, e que novas oportunidades surgiram no ensino superior russo neste ano?

Da cibernética médica à biodiversidade

As universidades russas vêm aumentando anualmente a variedade de cursos oferecidos a estrangeiros. Além dos programas existentes em inglês, novos cursos estarão disponíveis nas áreas de:

- Biofísica médica, bioquímica médica e cibernética médica (Universidade Estatal de Níjni Nôvgorod);

- Problemas modernos de engenharia de software (programa de mestrado em inglês na Universidade Nacional de Pesquisa Nuclear – Mephi, em Moscou);

- Empreendedorismo e liderança tecnológica (mestrado em inglês na Universidade Politécnica de São Petersburgo Pedro, o Grande);

- Gestão digital em equipamentos modernos, sistemas de robótica molecular e biossensores, bioinformática e biologia sistêmica, tecnologia intelectual em robótica. (Universidade de São Petersburgo de Tecnologia da Informação, Mecânica e Ótica);

- Engenharia Mecânica (em inglês na Universidade Estadual de Urais do Sul, em Tcheliabinsk);

- Ensino Técnico de Elite (Universidade Politécnica de Tomsk);

- Biodiversidade (programa de mestrado em inglês na Universidade Estatal de Tomsk), com subsequente trabalho de campo para proteção ambiental do Ártico.

Intensivos de verão e inverno

Quem planeja curtir o verão na Rússia tem também a oportunidade de ingressar em um dos muitos cursos intensivos de férias. A Universidade Estatal de Níjni Nôvgorod, por exemplo, oferece um programa intensivo de verão em língua e cultura russas, enquanto outras universidades, como a Mephi e a Universidade Eletrotécnica de São Petersburgo, estão mirando os profissionais de TI (tecnologia da informação) com cursos intensivos nas áreas de tecnologias de informação e segurança cibernética. Para os interessados em áreas como engenharia de energia ou biomédica, vale a pena checar os cursos internacionais de verão e inverno da Politécnica de São Petersburgo.

Estudantes da Universidade de São Petersburgo de Tecnologia da Informação, Mecânica e Ótica  (ITMO)

Oportunidades de pós-graduação

A Universidade de São Petersburgo de Tecnologia da Informação, Mecânica e Ótica lançou em 2018 um novo programa para jovens cientistas (30 a 35 anos) que concluíram doutorado nos últimos cinco anos. O objetivo é integrar essas pessoas à universidade por meio de trabalhos de pesquisa e seminários.

Paralelamente, a Universidade de Tiumen, na Sibéria, está promovendo um concurso chamado “Talent++” para candidatos estrangeiros que queiram concluir o doutorado na Rússia. Os vencedores receberão uma bolsa mensal de 30 mil rublos (R$ 1.715).

Algumas universidades também possuem acordos de colaboração com instituições estrangeiras para criar programas de dupla e até tripla titulação.

A Estatal de Níjni Nôvgorod uniu-se recentemente a um programa internacional de mestrado Erasmus Mundus chamado Estudos da Europa Central e do Leste Europeu, da Rússia e da Eurásia. Esta opção permite que os alunos estudem em três universidades diferentes: na Universidade de Tartu (Estônia), na Universidade de Glasgow (Escócia), e em mais uma das outras seis universidades parceiras (incluindo a de Níjni Nôvgorod), recebendo três diplomas diferentes após a conclusão do curso.

Já a Universidade Estatal de Samara, no sudoeste russo, continua colaborando com instituições europeias em vários programas internacionais lançados nos últimos anos. Em parceria com a Universidade de Stuttgart (Alemanha) e a Universidade de Turim (Itália), a Estatal de Samara prepara profissionais para trabalhar em sistemas de energia de máquinas voadoras. Existe ainda um programa de sistemas mecatrônicos em colaboração com a Universidade de Tecnologia de Lappeenranta (Finlândia).

Quer estudar na Rússia, mas não sabe qual programa escolher? Confira dicas aqui.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? 
Clique 
aqui para assinar nossa newsletter.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais