Rússia dobra exportações de carne

Reuters
Graças a novos protocolos de cooperação bilateral, China se tornou o principal comprador da commodity russa.

Nos primeiros seis meses de 2020, a Rússia deu um salto de 220% em suas exportações de carne, segundo dados do Centro dos Estudos Industriais do Rosselkhozbank, publicados pelo jornal econômico russo RBC.

Entre janeiro e junho deste ano, os frigoríficos russos exportaram mais de US$ 336 milhões em carne e seus subprodutos. Para efeitos de comparação, no mesmo período do ano anterior, as exportações da commodity totalizaram US$ 149 milhões.

As exportações de carne de aves aumentaram 250%, chegando aos US$ 193 milhões; de carne suína, 400%, totalizando US$ 85 milhões; e de carne bovina, 300%, somando US$ 16 milhões.

Quase metade da carne exportada pela Rússia foi adquirida pela china. No final do primeiro semestre de 2020, pela primeira vez, a China se tornou o principal importador de carne russa, deixando para trás a Ucrânia, que comprava 28% do produto russo exportado e passou aos 16%.

Entre janeiro e junho de 2020, a Ucrânia importou 40,9 mil toneladas de carne russa, enquanto a China comprou quase o dobro, ou seja, 79,9 mil toneladas, de acordo com o centro federal Agroexport. Assim, a exportações russas para a China subiam quase 1.100%.

O aumento da exportação é resultado de um longo trabalho do governo russo para abrir o mercado chinês para os produtores domésticos de carne, segundo disse ao jornal RBC o chefe do Comitê Executivo da Associação Nacional de Carnes, Serguêi Iúchin.

Em janeiro deste ano, os produtores nacionais receberam autorização para exportar à China não apenas carne de aves, mas também carne bovina refrigerada.

Os protocolos bilaterais que permitem a exportação mútua de carne de aves foram assinados por Rússia e China em novembro de 2018.

LEIA TAMBÉM: Rosneft congela projeto Solimões no Brasil

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies