4 razões para investir na Rússia em 2018

No setor financeiro, os títulos russos representam uma boa oportunidade de investimento, porque têm rentabilidade fixa e não dependem do crescimento econômico, segundo o analista-chefe da consultoria financeira TeleTrade, Piotr Puchkariov.

No setor financeiro, os títulos russos representam uma boa oportunidade de investimento, porque têm rentabilidade fixa e não dependem do crescimento econômico, segundo o analista-chefe da consultoria financeira TeleTrade, Piotr Puchkariov.

Pixabay
Economia do país cresceu 1,6% em 2017, e é esperado novo crescimento.

1. Crescimento econômico

Segundo a previsão de diversos economistas, em 2018, o crescimento da Rússia não vai desacelerar. De acordo com o analista de investimentos da empresa financeira Global FX Ivan Kariákin, os principais fatores econômicos não serão alterados. “O preço do petróleo, mesmo que flutue, não cairá abaixo de US$ 55 por barril, o rublo permanecerá estável, a inflação será em torno de 4%. O crescimento da economia russa em geral será modesto, mas positivo", diz ele. Para ele, a renda real da população também não deve cair este ano.

O fundador do escritório de advocacia Alekhin e Partners, Roman Alekhin, diz que o crescimento econômico russo será pequeno e seria incorreto excluir o risco de estagnação em 2018. “O aumento dos preços do petróleo poderia estimular o crescimento da economia russa, mas há riscos de novas revogações das licenças dos bancos e novas tensões geopolíticas, que podem levar a sanções financeiras”, afirma.

O presidente da empresa financeira Castle Family Office em Cingapura, Eldar Muratov, está mais otimista em relação à economia russa em 2018. “O crescimento econômico vai acelerar e atingir 2,8% no final de 2018, mesmo que os preços do petróleo caiam para US$ 55 por barril", acredita Muratov.

2. Estabilidade da moeda

Para Muratov, em 2018, a taxa de câmbio do rublo não mudará significativamente. "Hoje, a taxa do rublo em relação ao dólar é estável: um dólar custa cerca de 60 rublos. Não vejo fatores que poderiam afetar significativamente essa taxa”, diz Muratov.

O analista-chefe da consultoria financeira TeleTrade, Piotr Puchkariov, acredita que a moeda russa vai fortalecer e a taxa de câmbio do dólar atingirá de 53 a 55 rublos, o que tornaria os investimentos na moeda russa mais rentáveis.

3. Pouca influência política

A infraestrutura para a Copa do Mundo de 2018 já foi construída, mas a chegada de muitos fãs vai dar um impulso à moeda nacional russa, prevê Kariákin. Além disso, é pouco provável que as eleições presidenciais de março levem a mudanças significativas na política econômica do país.

"Vladimir Putin não tem uma estratégia econômica porque não precisa de uma", diz Kariákin. "As decisões econômicas de Pútin serão introduzidas na forma de ‘decretos’ que terão objetivos sociais e populistas em grande parte, e levarão ao aumento de gastos orçamentários”, completa.

4. Oportunidades no mercado

Há boas oportunidades nos setores de TI, indústria automobilística, mineração, de madeira, agricultura e turismo.

No setor financeiro, os títulos russos representam uma boa oportunidade de investimento, porque têm rentabilidade fixa e não dependem do crescimento econômico, segundo Puchkariov.

“Como no ano passado, os títulos russos chamados ‘carry trade’ também prometem bons retornos”, diz Kariákin.

Além disso, há boas oportunidades nos setores de TI, indústria automobilística, mineração, de madeira, agricultura e turismo. Segundo Puchkariov, os investidores estrangeiros devem estudar cuidadosamente os setores e projetos apoiados pelo Estado, porque eles crescerão mais rapidamente, em comparação com a média do mercado.

“Na agricultura, por exemplo, vale a pena estudar a possibilidade de investir em infraestrutura ou no processamento de alimentos. No turismo, pode ser rentável investir em hotéis, restaurantes e transportes nas regiões russas menos conhecidas e não nas grandes cidades, como Moscou”, diz Kariákin.

"A península da Crimeia é um lugar muito interessante para investimentos. A região é afetada pelas sanções financeiras [dos Estados Unidos e da União Europeia], mas esses riscos criam boas possibilidades para empresários locais", diz Kariákin. "Quando a questão da Crimeia for resolvida, a região receberá uma enorme onda de investimentos de todo o mundo. Por isso, é preciso investir agora. Hoje, os investidores mais corajosos são da China, o que é uma pena", completa.

Gostaria de continuar lendo sobre o assunto? Leia "7 dicas para empreender na Rússia: conselhos de quem chegou ao topo".

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies