Guerra ideológica é tema do filme “A Questão Russa”, em cartaz no YouTube neste fim de semana

Mikhail Romm/Mosfilm, 1947
Jornalista norte-americano é enviado à URSS para produzir material negativo, mas sua obra sai pela culatra. Longa é mais uma atração do ciclo “Cinema Soviético e Russo em Casa”. 

Nesta sexta-feira (3) o CPC-UMES Filmes continua com a programação do segundo semestre do projeto “Cinema Soviético e Russo em Casa”, exibindo gratuitamente no YouTube o longa “A Questão Russa” (1947), de Mikhail Romm.

Adaptação da peça teatral de Konstantin Simonov, “A Questão Russa” conta a história do jornalista norte-americano Harry Smith, enviado a Moscou pelos donos de uma cadeia de jornais local interessada em fomentar a Guerra Fria com um material “novo” contra a URSS. Ao retornar para o país, Harry se vê forçado a escrever um livro com visões negativas do bloco soviético, mas sua obra deixa os patrões furiosos e ele vira alvo de violenta retaliação.

Com isso, o diretor e roteirista Mikhail Romm, mais conhecido pelo documentário “O fascismo de todos os dias” (1965), aborda temas recorrentes na época da Guerra Fria, como o medo do comunismo no Ocidente, a perseguição de jornalistas por causas partidárias e a constante guerra ideológica entre os dois blocos político-econômicos.

Ao longo deste segundo semestre, serão exibidos 14 longas dos mais variados gêneros a partir de matrizes restauradas. Este é o segundo ano do “Cinema Soviético e Russo em Casa”, com a exibição gratuita de um filme russo por semana. O projeto foi desenvolvido pelo Centro Popular de Cultura da União Municipal dos Estudantes Secundaristas de São Paulo (CPC-UMES), que distribui e comercializa no Brasil, em DVD e Blu-Ray, streaming, TV e cinema os filmes produzidos pelo Estúdio Mosfilm.

“A Questão Russa” está disponível aqui de sexta (03), às 19h00, até domingo (05), às 19h00.

LEIA TAMBÉM: Rum, vodca e mamute: quando os soviéticos filmaram uma obra-prima da sétima arte em Cuba

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies