Você com certeza ouviu muita panela neste ano, mas e música feita com colher? (VÍDEO)

Liudmila Pakhómova
As colheres são úteis não só na cozinha e na sala de jantar, mas também para tocar música, ao que parece – e não só elas, como também outros utensílios domésticos!

Músicas baseadas na batida de um determinado ritmo, de um modo geral, são comuns a muitos povos: uns usam as mãos para marcá-lo, outros, pratos, baquetas ou tambores. Para os eslavos, colheres de madeira comuns se tornaram um instrumento de percussão, usado ​​tanto para entretenimento quanto para rituais e caçadas, onde era preciso marcar o ritmo e a velocidade.

Colheres no palco

Não se sabe exatamente quando os eslavos começaram a usar colheres como instrumento musical, mas os primeiros registros escritos de camponeses tocando música com colheres surgiram no século 18. Inicialmente, as pessoas usavam as próprias colheres de cozinha, mas, depois de algum tempo, começaram a fabricar colheres como instrumentos específicos para música, que se diferenciam de talheres comuns.

No século 19, os camponeses russos ganharam um novo instrumento musical: o acordeão. Com ele, surgiram os conjuntos folclóricos russos populares e se descobriu que as colheres eram muito adequadas para essas apresentações. Era possível tocar grandiosos solos com o acompanhamento do acordeão e as rápidas manipulações manuais adicionadas à performance teatral.

Em 1908, o Jornal Musical Russo de São Petersburgo publicou a primeira pesquisa científica sobre as colheres na arte folclórica. O jornal detalhava os métodos de toque das colheres, que eram populares naquela época.

Como tocar colheres

Tradicionalmente, as colheres musicais devem ser feitas de madeira e, às vezes, decoradas com sinos. Normalmente, cada artista toca três colheres: duas ficam apertadas entre os dedos de uma das mãos e a terceira fica na outra mão e bate nas duas primeiras, como em uma bigorna. Isto gera um estrondo de “deslize” das colheres e produz um som interessante.

Mas eis um nível mais difícil: três colheres em uma mão, a quarta (percussiva) na outra e a quinta, presa a uma das pernas! Por vezes, o tocador tem várias colheres de tamanhos diferentes em ambas as pernas (e, na verdade, por toda parte!), que emitem sons diferentes.

Até recentemente, não havia gravações ou notas com a música de colheres, e os “lojkari” (músicos que tocam colher, nome proveniente de “lojki”, ou seja, colheres em russo) simplesmente faziam parte de bandas folclóricas russas.

Aliás, anteriormente, as melodias dependiam apenas da imaginação e do virtuosismo do intérprete e essas habilidades eram transmitidas de geração em geração.

Quem toca colher hoje em dia?

Tocar colheres desenvolve habilidades motoras finas, audição musical e senso de ritmo. Portanto, esses instrumentos são frequentemente ensinados a crianças em jardins de infância e escolas russas. Alega-se que até o ex-presidente da Rússia, Borís Iéltsin, era um mestre como tocador de colher.

Hoje, além das orquestras folclóricas russas, existem grupos de “lojkari”. Eles usam colheres decoradas com estilos artesanais tradicionais e, muitas vezes, cadeiras especiais nas quais batem para marcar o ritmo. Alguns artistas também usam colheres de metal e plástico de vários formatos.

E eles não só tocam melodias folk, mas também música contemporânea.

Aliás, os povos eslavos tiravam música não só de colheres, mas de vários utensílios domésticos. Eles tocavam música com panelas, vasos, serras... E você, de onde tira som?

LEIA TAMBÉM: Um gostinho da Rússia camponesa antiga em 4k (e com uma música deliciosa!)

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies