10 filmes soviéticos gêmeos de produções da Disney

Estúdios de cinema soviéticos trabalhavam com as mesmíssimas histórias do estúdio norte-americano – e, às vezes, antes mesmo dele!

1. As aventuras de Pinóquio x As aventuras de Buratino

Ao editar a tradução russa da história italiana “As aventuras de Pinóquio”, o escritor Aleksêi Tolstói fez mudanças substanciais para adaptá-la aos pequenos leitores russos. No final das contas, ele decidiu fazer sua própria versão do conto , que publicou em 1936. A adaptação para o cinema de 1976 era considerada um filme “cult” na URSS.

Buratino, a versão russa de Pinóquio, tem várias diferenças importantes em relação ao seu “gêmeo” italiano. Primeiro de tudo, seu nariz não cresce quando ele mente (e na verdade, como um bom garoto soviético, ele não mente). Buratino também é um cara muito positivo, sempre vendo o mundo de uma maneira otimista, e não sofre tanto quanto Pinóquio. O livro e o filme soviéticos também têm personagens e tramas adicionais – como a tartaruga Tortilla, que guarda uma Chave de Ouro que traz a felicidade.

2. Winnie Pooh x Vinnie Pukh

Esta história de A. A. Milne também ganhou uma recontagem bastante diferente pelo escritor infantil soviético Borís Zakhoder. Mas “Winnie Pooh” se tornou ainda mais famoso na URSS após três animações da Soiuzmultfilm- em 1969, 1971 e 1972 - dirigidas por Fiódor Khitruk.

O Vinnie soviético na verdade não tem um Christopher Robin, nem amigos como Kanga ou o Tigrão. Os filmes só retratam algumas das tramas descritas por Milne e pela Disney. O Vinnie soviético também entra em um lugar apertado depois de comer muito mel. Ió também perde o rabo - e, na verdade, a dupla de Vinnie e Leitão o encontra e o devolve como presente de aniversário. E, é claro, o Vinnie soviético também faz o possível para conseguir mel em uma árvore alta.

3. A Rainha da Neve x Frozen

Uma das animações mais recentes a repercutir mundo afora, Frozen tem um excelente antecessor soviético, de 1957. Ambos são inspirados em um conto de Hans Christian Andersen. A grande diferença é que, no filme soviético, Gerda viaja heroicamente sozinha, procurando seu irmão Kai, enfeitiçado pela cruel Rainha da Neve. Outra diferença é que Elsa da Disney é na verdade irmã da Rainha da Neve e também tem um poder mágico que esconde durante toda a vida. A soviética Gerda é movida apenas por amor e coragem contra uma criatura muito mais poderosa (e adulta).

3. Tom e Jerry x Lobo Pateta!

Oficialmente, este desenho soviético não tem nada a ver com a série da Disney, mas as semelhanças são óbvias. A versão americana tem Tom, o gato, e Jerry, o camundongo. Na versão soviética, os oponentes são o lobo e a lebre. Eles não são mudos e são muito mais próximos de humanos: vestem roupas, usando o transporte e não estão trancados em casa o tempo todo.

O Lobo é realmente um malandro: fuma, bebe cerveja e veste jaqueta de couro. A lebre, assim como Jerry, é muito inteligente e zomba de seu agressor de uma maneira bastante dura.

5. Alice no País das Maravilhas x Alisa v Strane Tchudes

A Alice no País das Maravilhas de Lewis Carroll foi adaptada pela Disney em 1951 e, em 1981, pelo estúdio soviético Kievnauchfilm. A versão soviética não tem o Rei de Copas e não tem o episódio com as lágrimas de Alice. Mas, se a animação da Disney tomou apenas a cena com Tweedledum e Tweedledee do livro “Alice através do espelho e o que ela encontrou por lá”, os soviéticos fizeram uma série com cada um dos livros.

6. Branca de Neve e os Sete Anões x O Conto da Princesa Morta e dos Sete Cavaleiros

O enredo de uma bela jovem envenenada é popular no folclore de muitos países. E se a história da Disney é baseada no conto de 1812 dos Irmãos Grimm, a Souiuzmultfilm se baseou no conto de Aleksandr Púchkin de 1833.

Branca de Neve e a Princesa Russa são prejudicadas por madrastas quem invejam sua beleza e as expulsam de suas casas. Uma das principais diferenças fica óbvia no título: em vez de encontrar abrigo na cabana de anões, a princesa russa conhece sete cavaleiros. Ambas as moças são envenenadas com uma maçã. O final feliz é semelhante: o príncipe encontra sua amada, a beija e a resgata e eles se casam.

7. A Bela e a Fera x A Flor Escarlate

A Bela e a Fera é uma trama popular do folclore europeu que foi adaptada para o conto de fadas russo “A flor escarlate” pelo escritor do século 19 Serguêi Aksakov. O que há de diferente em “A flor escarlate”? Ali também existe um pai trabalhando duro, mas como um comerciante que realiza viagens oceânicas para terras distantes. E, enquanto a Bela da Disney é filha única, a Nástia russa tem duas irmãs mais velhas. Preparando-se para outra viagem, o pai pergunta às três o que elas gostariam que ele trouxesse. Duas filhas pedem presentes caros, mas Nástia só quer uma flor escarlate.

Atingido por uma tempestade o pai acaba em uma ilha desconhecida, onde um animal terrível o encontra e ordena que o homem traga uma de suas filhas ou fique sozinho para sempre. O pai volta e conta a triste história a um amigo. Nástia ouve tudo e decide salvar seu pai. Ela parte para a ilha e se apaixona pela fera. Mas as irmãs enlouquecem de inveja e tentam arruinar esse relacionamento.

8. O Livro da Selva x As Aventuras de Mowgli

Os dois desenhos são baseados no famoso “O Livro da Selva”, de Rudyard Kipling, sobre um menino selvagem criado na selva indiana por animais. Embora a história de Disney de 1967 seja mais animadora e positiva, com ursos cantantes e o alegre mundo selvagem, a animação soviética de 1973 trata da sobrevivência sob a lei da selva. É cheio de drama, coragem e metáfora para os problemas humanos da vida real. Forte!

9. A Pequena Sereia x Russalotchka

O brilhante e colorido filme da Disney em 1989 não tem muito em comum com o sombrio drama soviético filmado em 1968. E até duvidamos que as crianças realmente assistam ao segundo, mas ele é muito mais próximo do conto original de Hans Christian Andersen.

Na versão soviética, você não verá o alegre Sebastian, o caranguejo, ou Solha, o peixe. Ariel tampouco tem um sutiã de concha e não penteia o cabelo com um garfo. Mas a trama principal é semelhante: a sereia soviética salva um lindo príncipe e faz um acordo com uma bruxa do mar. Ela passa a ter pernas, mas corre o risco de perder a voz se o príncipe não a beijar – ou, na versão soviética, se ele se casar com outra pessoa. A Disney tem um final feliz, mas o filme soviético não poupa a sereia, que morre no final.

10. Cinderela x Zoluchka

O conto de fadas musical soviético de 1947 é uma versão do dramaturgo soviético Evguêni Schwartz, baseada no conto de Charles Perrault. A garotinha sofre com os caprichos da madrasta e das irmãs e precisa fazer todo o trabalho doméstico.

Comparado à versão da Disney de 1950, a soviética está mais próxima da original. O pai de Cinderela está vivo, mas é um homem muito gentil para protestar contra as ações de sua nova esposa. No entanto, no final ele apoia Cinderela, que mostra que o sapato de cristal pertence a ela.

LEIA TAMBÉM: 12 personagens dos contos de fada russos que você precisa conhecer

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies