12 personagens dos contos de fada russos que você precisa conhecer

O Russia Beyond decifra as figuras-chaves dos contos russos.

O Russia Beyond decifra as figuras-chaves dos contos russos.

Anna Perepechenova
Heróis e vilões estão nas fábulas mais populares na Rússia.

Os personagens dos contos de fada russos habitam um reino encantado espetacular, onde nunca ficam entediados. Eles estão sempre envolvidos em todo tipo de desafio e atribulação, competindo com reis, arrumando belas esposas, salvando seu reino ou defendendo aqueles que amam de feras malvadas.

1. Bába Iagá

Bába Iagá testa os nervos e a coragem dos heróis das histórias.

A Bába Iagá é uma das personagens que mais aparecem nas fábulas russas. Ela costuma ser retratada como dona de um chalé de madeira apoiado em pés de galinha ou a guardiã do caminho para um bosque selvagem, para o qual não deixa ninguém passar.

Bába Iagá testa os nervos e a coragem dos heróis das histórias. Se ele se provar valoroso, ela o ajuda em sua tarefa, dando talismãs que tendem a fortalecê-lo em seu trabalho.

Mas há outro tipo de Bába Iagá que é melhor evitar – aquela que gosta de se alimentar de crianças. Os protagonistas devem usar sua sabedoria para salvar-se das garras dela.

Por causa de sua velhice e preguiça, ela pode ainda relegar o trabalho na cozinha a outra pessoa, que, por ser tola ou ter bom coração, pode deixar o “jantar” escapar.

A Bába Iagá pode ser muito persistente, perseguindo sua presa com vassoura durante muito tempo. Algumas fábulas com a personagem são “Bába Iagá”, “Vassilia, a bela” e “O cisne mágico”.

  1. Kikímora 
A Bruxa do Pântano aparece em contos de fada como uma velha feia envolta em algas.

Kikímora é um espírito feminino malvado que aparece em duas formas, dependendo de quem se casa com ele. Há a Bruxa do Pântano, que é casada com um duende, e a Bruxa de Casa, que é casada com o Domovôi, um espírito de casas do folclore eslavo.

A Bruxa do Pântano aparece em contos de fada como uma velha feia envolta em algas. Seu trabalho é assustar aqueles que passeiam pelos pântanos, atrair viajantes para as areias movediças e raptar crianças pequenas.

A Bruxa de Casa é bem diferente. Ela vive tranquila em sua casa e raramente aparece para as pessoas. Reza a lenda que essas criaturas geralmente são almas de pessoas que se afogaram ou de crianças que morreram antes de ser batizadas. A fábula mais conhecida sobre essa bruxa é “Kikímora”, de Aleksêi Tolstói.

  1. Ivan, o Tolo
Ivan, o Tolo não pensa antes de agir e não é levado a sério por outras pessoas.

Ivan, o Tolo, é geralmente o filho mais novo de uma família de camponeses.

Ele não pensa antes de agir e não é levado a sério por outras pessoas – na melhor das hipóteses, é tratado como um tolo e, na pior, é manipulado por elas.

Ele também não gosta de trabalhar. Não consegue realizar as mais simples tarefas, sempre causando problemas a sua família e seus patrões.

Mas, de algum modo, ele sempre se safa, graças a alguma ajuda milagrosa, e acaba cumprindo tarefas que nem mesmo os heróis conseguem.

Apesar de sua natureza caótica, Ivan, o Tolo, tem um papel muito importante: suas trapalhadas divertem tanto os outros personagens quanto os leitores, provando que até mesmo a pessoa mais lenta pode se tornar a mais rápida.

Ele pode ser visto em histórias como “O pequeno Ivan, o Tolo”, “O pequeno cavalo corcunda” e “Sivka-Burka”.

  1. Princesa Sapo
A Princesa Sapo é a esposa perfeita, inteligente e bonita, sensível e esperta, leal e modesta.

A Princesa Sapo é a esposa perfeita, inteligente e bonita, sensível e esperta, leal e modesta.

Além de tudo isso, ela é treinada nas artes da magia e tem um exército de babás sob seu comando, que podem ajudá-la até mesmo em circunstâncias que parecem impossíveis.

Mas há um problema: sob as ordens de seu poderoso pai, ela se transformou em um sapo por três anos e foi obrigada a aparecer nesta forma ao seu prometido, o príncipe Ivan.

Seu conto de fada tem uma série de elementos fantásticos: há o ritual, o príncipe encantado que encontra o sapo com a ajuda de uma flecha, a quebra de regra.

Ivan queima a pele do sapo e perde sua amada. Em punição por sua transgressão, ele recebe um desafio para conquistar sua princesa-sapo de volta.

A fábula é chamada simplesmente de “A Princesa Sapo”.

  1. Ladrão Rouxinol
O Ladrão Rouxinol vive em um ninho em um carvalho com suas três filhas e seus maridos

O Ladrão Rouxinol é o herói do clássico conto épico russo “A primeira jornada de Iliá Muromets”. Ele vive em um ninho em um carvalho com suas três filhas e seus maridos.

Ele sobrevoa a estrada de Tchernigov para Kiev e, não importa se os viajantes estão a pé ou a cavalo, o rouxinol assobia para eles com seu trinado mortal e os assusta até a morte.

Até que o guerreiro Iliá Muromets derrota o Ladrão Rouxinol e o leva ao Grão Príncipe de Kiev.

As pessoas veem o rouxinol de diferentes formas, por vezes como homem, por vezes como uma criatura metade pássaro e metade humano. Ele personifica o tipo de medo que pode acometer os viajantes em seu caminho.

  1. Imortal Koschei
O Imortal Koscheithe, um monarca malvado, é geralmente retratado como um velho rabugento ou como um rei montado em um cavalo.

O Imortal Koschei, um monarca malvado, é geralmente retratado como um velho rabugento ou como um rei montado em um cavalo.

Ele não é completamente imune à morte – ele pode ser morto, mas para isso é preciso quebrar uma agulha mágica, que está escondida em um ovo, que está dentro de um pato, que está dentro de uma lebre, que está no tronco de um carvalho.

Há uma versão alternativa da história, na qual um cavalo traz a morte para o rei Koschei. Esta fábula é triste. Em uma das histórias, “O Guerreiro Koschei”, conta-se como ele havia sido um guerreiro, mas foi traído por seus companheiros e aprisionado por seus inimigos.

Após longos anos, ele conseguiu escapar e começou a planejar sua vingança. Diversas versões da história de Koschei o mostram aprisionando mulheres, geralmente aquelas prometidas para os jovens heróis da fábula.

Esta é a versão que encontramos em contos como “O Imortal Koschei”, “Maria Morevna” e “A Princesa Sapo”.

  1. Pássaro-fogo
Apesar de sua aparência magnífica, é fácil capturar o Pássaro-fogo comendo sem permissão as maçãs do jardim do tsar ou capturá-lo empanturrando-se entre os campos de trigo.

O Pássaro-fogo é uma versão russa da lenda da fênix. Geralmente, o pássaro é uma metáfora para um jovem homem corajoso que busca fama e fortuna.

Ele é um pássaro grande e extraordinariamente belo, envolto em fogo: “suas penas eram de um dourado imaculado, e seus olhos de cristal”.

Apesar de sua aparência magnífica, é fácil capturar o Pássaro-fogo comendo sem permissão as maçãs do jardim do tsar ou capturá-lo empanturrando-se entre os campos de trigo.

Com frequência, o herói encontra o Pássaro-fogo e o leva para o tsar como um presente, sem saber qual será o resultado.

Recebendo uma pena que brilha mais do que várias velas, o tsar geralmente pede o pássaro todo e envia o herói para uma perigosa busca.

O Pássaro-fogo é encontrado em fábulas como “Tsarevitch Ivan, o Pássaro-fogo e o Lobo cinza” e “O Pássaro-fogo e a princesa Vassilia”.

  1. Vodianoi 
Na mitologia eslava, o Espírito da Água é geralmente um homem idoso coberto de algas e limo.

Vodianoi (ou Espírito da Água) é o Rei das Profundezas. Na mitologia eslava, o Espírito da Água é geralmente um homem idoso coberto de algas e limo, que às vezes possui um rabo de peixe. Mas ele pode mudar de forma.

Ele mora em todo tipo de reservatório e poço, mas pode ser encontrado com mais frequência em poças perto de moinhos de água.

Na mitologia, ele é considerado malvado, mas, nos contos de fada, geralmente não é mau, apesar de às vezes tentar impedir o jovem herói de casar com sua amada, especialmente se ela for a filha do Espírito da Água.

O espírito aparece na fábula “Tsarevitch Ivan e a Princesa Marfa”.

9. Schuka 

Os eslavos antigos costumavam associar habilidades terríveis a esse peixe.

Schuka é um peixe do tipo lúcio. Os eslavos antigos costumavam associar habilidades terríveis a esse peixe: as pessoas achavam que ele poderia engolir um homem e que o Espírito da Água montava este peixe nos reinos aquáticos.

Nas fábulas russas, o peixe tem proporções mais razoáveis e uma natureza mais inofensiva.

Na verdade, um encontro com um peixe lúcio traz boa sorte, já que o peixe pode realizar desejos.

Mas primeiro você deve pegá-lo, como Iemelia, o Tolo (Ivan em algumas versões), faz no conto de fadas de mesmo nome, e então soltá-lo na água. Não há limites para os desejos que você pode pedir.

Iemelia recebe oito desejos nesta fábula, intitulada “O Tolo e o Peixe”.

  1. Vassilisa, a Bela
Vassilisa, a Bela, é filha de um mercador. Sua mãe morreu jovem, deixando-a nas mãos de uma madrasta má.

Vassilisa, a Bela, não deve ser confundida com Vassilisa, a Sábia, que é uma feiticeira e filha do Rei dos Mares.

Vassilisa, a Bela, é filha de um mercador. Sua mãe morreu jovem, deixando-a nas mãos de uma madrasta má.

Ela é meiga e boa, mas enfrenta vários problemas, especialmente com Bába Iagá. Mas, em suas aventuras, tem a ajuda de uma boneca que sua mãe lhe deu.

A história de Vassilisa ilustra a crença popular de que pais amorosos continuam a zelar por suas crianças e a ajudá-las de seus túmulos.

O conto de fada onde esta personagem aparece é “Vassilisa, a Bela”.

  1. Gorinitch, o Dragão
Gorinitch sequestra mulheres e cerca cidades, mas, ao contrário de Bába Iagá, pode ser convencido ou distraído.

Gorinitch, o Dragão, tem muitas cabeças. Ele pode aparecer fora da água, cuspir fogo e, ocasionalmente, voar e viver nas montanhas.

Gorinitch sequestra mulheres e cerca cidades, mas, ao contrário de Bába Iagá, pode ser convencido ou distraído – ele está sempre determinado em transformar aqueles que o perturbam em uma refeição.

Geralmente, há apenas um herói capaz de derrotar o dragão, que mais cedo ou mais tarde aparece para desafiá-lo.

As fábulas com Gorinitch são “Frolka,” “Dobrinia Nikititch" e "Gorinitch, o Dragão”.

  1. Tsar
O tsar é o personagem todo-poderoso de muitos contos de fadas.

O tsar é o personagem todo-poderoso de muitos contos de fadas. Com frequência o jovem herói encontra o tsar antes que sua grande aventura comece.

O tsar sempre parece estar à procura de belas noivas, Pássaros-fogo ou cavalos valentes. Por isso, está sempre enviando jovens heróis – seu filho, algum cavaleiro de sua tropa ou um viajante recém-chegado – para reinos distantes, onde está aquilo que ele deseja.

Também acontece de o herói ser recebido em audiência pelo tsar no meio da história, dando uma reviravolta e trazendo novas questões para o protagonista.

Encontramos tsares em fábulas como “O Pássaro-fogo e Vasilisa, a Bela”, “A Princesa Sapo” e muitas outras.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies