5 curiosidades sobre o programa infantil mais popular da Rússia, ‘Boa noite, pequeninos!’

Bonecos da lebre Stepachka e do porco Kriucha inspirados no programa de TV russo ‘Spokôinoi nôtchi, malichi!’ no estúdio da Ostankino TV.

Bonecos da lebre Stepachka e do porco Kriucha inspirados no programa de TV russo ‘Spokôinoi nôtchi, malichi!’ no estúdio da Ostankino TV.

Vladimir Pesnya/Sputnik
Estes bonecos têm desejado uma boa noite às crianças russas há 55 anos – além de lhes ensinar como se comportar e entretê-las com desenhos e animações. O programa é um fenômeno social que influenciou pelo menos três gerações no país e continua firme e forte!

Todo país tem seus próprios fenômenos da televisão para crianças, com personagens de ficção contando histórias engraçadas e fofas e ajudando as crianças a crescer e compreender o estranho mundo em que vivemos.

Na Rússia, esta função é delegada a um programa icônico, o “Spokôinoi nôtchi, malichi!” (em tradução livre, “Boa noite, pequeninos!”). Gerações inteiras de russos o consideram uma obra de arte. O Russia Beyond conta por quê!

1. Inspirado em formato alemão

A estrutura do show não é exatamente original. Marionetes que se unem a um apresentador humano enfrentam determinadas dificuldades e, com a ajuda de chistes, encontram soluções, seja ao dividir uma torta ou ao perdoar um amigo que se comportou mal.

No final, eles assistem a um desenho animado curto. Cada episódio, de apenas dez minutos, é exibido às 20:50, antes do noticiário da noite. Depois disso, é hora de as crianças irem para a cama e os animaizinhos e o apresentador humano desejam boa noite.

Âncoras da TV Central Soviética (da esq. para dir.): Anna Chilova, Valentina Leontieva e Nina Kondratova durante filmagens do “Boa Noite, Pequeninos!”.

Lançado em 1964, este é um dos programas mais antigos da TV russa. Ele foi inspirado pelo “Sandmännchen” (o “João Pestana” da lenda portuguesa) da Alemanha Oriental.

Esta criatura do folclore europeu coloca as crianças para dormir derramando uma areia mágica em seus olhos. Mas russos não estavam muito interessados no Sandman, e a televisão soviética o substituiu por animais fofinhos - provavelmente para não assustar as crianças.

2. Sobrevivente das repressões

A lebre Stepachka, o cão Filia e o famigerado porquinho Khriucha, que foi de alguma forma o bode expiatório das repúblicas muçulmanas.

Originalmente, o “Boa Noite, Pequeninos!” consistia de imagens estáticas com som de uma narração. Depois surgiram quadros curtos de marionetes e atores.

Em 1968, surgiu o elenco clássico do programa: o cachorro Filia, o porquinho Khriucha, a lebre Stepacha e o corvo Karkucha (único personagem feminino entre as marionetes do programa).

No decorrer das décadas, porém, o programa teve algumas mudanças. A noite de 11 de novembro de 1982, por exemplo, foi a primeira vez em que “Boa Noite, Pequeninos!” não entrou no ar. O líder soviético Leonid Brejnev tinha morrido e o país estava de luto – e, ao que parece, as marionetes fizeram coro aos humanos.

Depois disso, os animais desapareceram por três anos do programa, que passou a ser apresentado apenas por humanos. O diretor da seção infantil do estúdio então, Andrêi Menchikov, relembra: “O Partido proibiu o leitão Khriucha porque os líderes das repúblicas soviéticas muçulmanas achavam que um porco não deveria desejar boa noite às crianças muçulmanas”.

Foi comente com a Perestroika que o novo líder soviético, Mikhail Gorbatchov, permitiu o retorno de Khricha junto com os outros animaizinhos.

3. Uma mãozinha (ou patinha?) para derrubar a cortina de ferro

Gorbatchov tinha seus motivos para simpatizar com Khriucha: o leitão ajudou a reduzir as tensões entre a URSS e os EUA por meio dos produtores Menchikov e seu colega norte-americano Christopher Serf.

Na especial de 1988 "Livre para ser... uma família”, Khriucha conheceu Caco, o sapo de "Muppet-show". Ecoando o simbólico encontro diplomático de Gorbatchov e Reagan, os bichinhos discutiram questões sérias.

4. Personagens adoráveis ​​(mas um pouco estranhos)

O urso Michutka, que se uniu ao grupo nos anos 2000.

Como Menchikov recordou, as crianças soviéticas imploravam às autoridades que colocassem Khriusha no ar novamente - e funcionou. Ele e os outros animais clássicos de “Boa noite, pequeninos!” são amados até hoje pela crianças.

Além do quarteto (Khriucha, Filia, Stepacha e Karkucha), outros animais surgiram mais tarde. Nos anos 1960, juntaram-se a eles Buratino (o “Pinóquio Russo”) e, na década de 2000, o urso Michutka – afinal, como um programa de TV russo poderia passar sem urso?

A última aquisição do programa é Mur, o tigre de Amur, que parece chamar a atenção para a necessidade de proteger as espécies ameaçadas de extinção.

5Um boxeador colocando as crianças para dormir - literalmente!

Os apresentadores humanos também mudam, e, entre os atuais, estão Oksana Fiódorova (ex-Miss Rússia), o cantor pop Dmítri Malikov e o ex-boxeador e parlamentar Nikolai Valúev.

As marionetes, porém, não foram repaginadas em modelos gerados por computador. Khriucha, Stepacha e os outros ainda são operados por pessoas de carne e osso escondidas debaixo da mesa.

Anos atrás, Grigóri Toltchinski, o primeiro a operar a marionete de Filia, costumava brincar: “Quando me aposentar, vou escrever minhas memórias: 20 Anos Debaixo da Saia da [apresentadora então] Tia Valia”.

A apresentadora de TV Oksana Fiódorova filmando “Boa noite, pequeninos!” no estúdio de TV Ostankino.

O programa certamente ficará no ar por um longo tempo, e muitas novas gerações de crianças manterão a tradição de ouvir seu “boa noite” antes de dormir!

Descubra os 10 escritores infantis mais populares da Rússia!

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies