Artista espanhol colore a Sibéria com escultura mais setentrional do mundo

Artmossphere
Okuda San Miguel desafia o clima para criar esculturas na região mais fria da Terra.

A escultura mais setentrional do mundo está localizada na cidade siberiana de Iakútsk e é assinada pelo artista espanhol Okuda San Miguel.

A obra “Espejismo ancestral” (Miragem Ancestral) é feita de aço e leva a marca registrada de Okuda: formas geométricas com as cores do arco-íris. A obra tem quatro metros de altura.

A escultura é inspirada na mitologia da Iakútia e representa o homem primitivo, livre das correntes da civilização.

Óscar San Miguel Erice, nascido em Santander, em 1980, mais conhecido como Okuda San Miguel, é um dos artistas urbanos mais internacionais da Espanha. Suas obras estão em Moscou, Madri, Nova York, Tóquio, Londres, Berlim, Paris, Hong Kong etc.

Ele iniciou sua carreira artística em 1997, criando obras em locais abandonados de sua cidade natal. Desde o começo, seu trabalho era facilmente reconhecível. Estruturas geométricas e estampas multicor se unem a corpos cinzentos e formas orgânicas em peças artísticas que poderiam ser rotuladas como um Surrealismo Pop, com uma clara essência de arte de rua.

Suas obras colocam questões sobre o universo, o infinito, o existencialismo, o sentido da vida, a falsa liberdade do capitalismo, e mostran o conflito existente entre a modernidade e nossas raízes.

LEIA TAMBÉM: Glória ou execução: como o pagamento de escultores variava com os bolcheviques

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies