Rússia desenvolve primeiro drone leve com motor híbrido do mundo

Serguêi Karpúkhin/TASS
Novo motor aumenta duração de voo e permite que drone se mova silenciosamente.

A empresa russa ZALA Aero, que faz parte do Grupo Kalashnikov, desenvolveu a primeira aeronave leve não tripulada ZALA 421-16E5G, equipada com um motor elétrico e um motor de combustão interna, segundo a agência de notícias russa Tass.

“Fomos os primeiros do mundo a combinar um motor de combustão interna e um motor elétrico nesta classe de drones. A empresa fez um híbrido sequencial: durante o voo, o motor de combustão interna não é a principal força motriz, mas alimenta o gerador e a bateria. A bateria, por sua vez, fornece energia para todos os sistemas a bordo, incluindo o motor elétrico", explica o chefe de projetos especiais da ZALA Aero, Nikita Khamitov.

Ele explica que o motor híbrido permite aumentar significativamente a duração do voo do drone em comparação com drones semelhantes. "Graças a esse sistema, alcançamos uma duração de voo de mais de 16 horas. Além disso, o drone pode alcançar os alvos em modo totalmente silencioso", disse Khamitov.

Segundo os engenheiros, a produção em série do drone de reconhecimento ZALA 421-16E5G já começou. “Já temos um cliente", disse. A capacidade de produção do ZALA Aero é de até 300 veículos por ano.

“O drone pode levar sistemas de aquisição de alvos, relé de comunicação e sistemas de monitoramento para redes 2G, 3G e 4G. Pode realizar reconhecimento técnico de rádio e determinar a localização de telefones celulares”, disse Khamitov.

O drone ZALA 421-16E5G tem software baseado em redes neurais e inteligência artificial.

“Criamos um sistema de decodificação do terreno com a ajuda da rede neural a bordo do drone. Após o voo, obtemos informações completas sobre a quantidade de objetos na área de interesse e podemos determinar mudanças nas características do terreno”, disse.

LEIA TAMBÉM: Como será o novo bombardeiro PAK DA?

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies