Rússia aumentará fornecimento de vacina contra gripe para a América Latina

Keystone Press Agency/Global Look Press
Países como Cuba, Nicarágua e Venezuela receberão juntos 6,5 ​​milhões de doses por ano.

O principal fabricante e produtor de vacina contra influenza na Rússia, o Instituto de Pesquisa Científica de Vacinas e Soros de São Petersburgo, planeja aumentar o fornecimento de um imunizante contra a gripe para os países latino-americanos. A meta é que sejam enviadas 6,5 ​​milhões de doses por ano a partir deste ano, segundo o diretor do Instituto, Viktor Trukhin.

“No ano passado, o Instituto de Pesquisa Científica de Vacinas e Soros de São Petersburgo forneceu 990 mil doses para a Nicarágua, 592.200 doses para Cuba e 3 milhões de doses da vacina contra influenza para a Venezuela. Este ano, estamos planejando aumentar este volume em mais 2 milhões de doses”, disse Trukhin à agência de notícias TASS.

Atualmente, o instituto de pesquisa, juntamente com sua subsidiária, o Instituto Metchnikov (instalação científica e de produção de biotecnologia com sede na Nicarágua), exporta para a América Latina dois tipos de vacinas contra a gripe – Flu-M e VGIR.

A VGIR está registrada na Guatemala e El Salvador e há o mesmo empenho em relação à Flu-M. “O certificado de registro para a Venezuela e a República Dominicana deve ser emitido este ano. Infelizmente, a situação de pandemia na região afetou seriamente o prazo de registro de nossa vacina [contra influenza]”, explicou o diretor. O Instituto de São Petersburgo produz até 30 milhões de doses da vacina contra a gripe por ano.

VEJA TAMBÉM: Fotos de arquivo de vacinações na Rússia e na URSS

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies