Kalashnikov lança produção de novo fuzil com cano liso

Kalashnikov media
Modificação do AK para o cartucho 366 TKM já está disponível nas lojas do país.

O consórcio Kalashnikov criou uma arma de cano liso com características de AK de combate. O novo fuzil civil foi batizado de TG 2 e pode disparar cartuchos russos 366 TKM.

Externamente, o TG 2 parece uma cópia completa do fuzil de assalto AK-103 de calibre de 7,62x39 mm. "A bala TKM é 1,5 vez mais pesada do que a de 7,62x39mm. Tem um bom efeito de parada e é adequado para caça média", explica o analista militar Dmítri Safonov.

A arma civil ganhou também uma nova trava de segurança manual. "No fuzil clássico, você teria que retirar a mão do punho para interagir com a trava de segurança. Na nova versão, esta questão ergonômica foi resolvida", disse.

Os trilhos Picatinny do TG 2 na versão básica são bastante simples, feitos de polímero resistente ao impacto, e permitem instalar acessórios mais essenciais, como punhos táticos, lanternas ou designadores a laser.

"A arma, porém, tem uma base para montar trilhos Picatinny adicionais para miras de todos os tipos", disse Safonov.

O TG 2 recebeu a mesma coronha dobrável que é usada no AK-103, que permite reduzir significativamente o tamanho da arma. No entanto, ao contrário da versão militar, a arma civil não pode atirar com a coronha dobrada.

Do ponto de vista legal, o TG 2 é uma arma de cano liso que pode ser adquirida por qualquer pessoa com licença para porte de arma. Tecnicamente, o cano da arma é liso, mas tem os "cortes Paradox".

"É uma pequena parte no cano, de até 15 centímetros de comprimento, que tem cortes e torce a bala no barril. Isso estabiliza a bala e aumenta a precisão de fogo até os indicadores de uma arma com cano estriado. Em outras palavras, é uma arma de cano liso com as caraterísticas técnicas de arma estriada", explica Vadim Koziúlin, professor da Academia de Ciências Militares da Rússia.

LEIA TAMBÉM: Kalashnikov revela seu primeiro hovercraft, o Haska-10

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies