Os 3 trens de batalha mais temíveis da Rússia

Aleksêi Dánitchev/Sputnik
Exército do país passou a usar trens em operações de combate no começo do século 20. Alguns trens militares eram considerados entre as armas mais formidáveis do exército soviético e foram equipados com armas de todos os tipos: de artilharia de montanha até mísseis balísticos nucleares intercontinentais.

Trens com armamento nuclear

Os trens de combate BZhRK, equipados com mísseis balísticos nucleares intercontinentais RS-22, foram considerados entre os mais formidáveis da Rússia.

A mobilidade nuclear era a principal vantagem dos BZhRK, porque a Rússia ocupa o terceiro lugar no mundo em termos de extensão de ferrovias – com mais de 120 mil quilômetros delas. Os trens equipados com sistemas contra a detecção por satélites foram entregues às Forças Armadas da União Soviética no final dos anos 1980.

"Os trens de mísseis eram muito pesados, com mais de 110 toneladas cada, e foram transportados por três locomotivas a diesel. Cada vez que eles se deslocavam ao longo dos trilhos da ferrovia, uma equipe de reparos tinha que ser chamada para reforçar os trilhos. Isso enervou o Ministério Ferroviário soviético", explica o analista militar da agência de notícias Tass, Víktor Litôvkin.

Segundo ele, os trens que transportavam mísseis balísticos intercontinentais RS-22 eram usados pelas Forças Armadas desde 1984. Em 1994, eles foram drasticamente reduzidos em quantidade, seguindo o Tratado de Redução de Armas Estratégicas Start I. O Tratado Start contemporâneo permite que a Rússia e os Estados Unidos tenham, cada um, até 800 veículos de lançamento, inclusive submarinos nucleares, bombardeiros estratégicos, mísseis balísticos intercontinentais etc.

Em 2013, a Rússia anunciou planos de retirar parte de seus sistemas de mísseis de serviço a fim de reiniciar o projeto Barguzin BZhRK de nova geração. Em dezembro de 2014, o Ministério da Defesa russo declarou que os novos trens seriam armados com mísseis RS-24 Yars, e cada trem poderia levar até seis mísseis desse tipo. Os mísseis poderão ser escondidos nos vagões de carga comuns, o que permitirá camuflar os trens militares.

No entanto, devido à crise econômica, o projeto ainda não foi implementado.

Khunkhuz

Durante a Primeira Guerra Mundial, o Império Russo construiu quatro trens blindados da classe Khunkhuz. Cada um consistia de uma locomotiva a vapor e duas plataformas biaxiais armadas com 12 metralhadoras austríacas Schwarzlose de calibre de 8 mm e uma torre com uma metralhadora de montanha 1904 de calibre de 76,2 mm. A blindagem de chapa de aço de 1,2 a 1,6 cm de espessura era mais do que suficiente para proteger a tripulação de 94 pessoas contra armas pequenas.

O exército russo usou ativamente os trens blindados em operações militares até sua retirada da Primeira Guerra Mundial, em 1918.

Zhelezniakov

O trem de batalha mais famoso da Grande Guerra Patriótica (1941-1945) desempenhou um papel crucial na defesa do Sevastopol na Crimeia.

Intitulado Zhelezniakov, o trem blindado com quatro plataformas foi equipado com 5 canhões de 76 mm, dois morteiros de 82 mm, 14 metralhadoras Maxim de 7,62 mm e duas metralhadoras antiaéreas pesadas DShK.

O trem, com blindagem de 30mm de espessura, podia alcançar até 50 km/h de velocidade.

O exército alemão apelidou esse trem de "fantasma verde", devido a sua capacidade surgir de repente, abrir fogo e desaparecer. Isso era possível porque o trem ficava geralmente escondido em túneis nas rochas e em espaços estreitos nas montanhas da Crimeia. No entanto, os alemães conseguiram localizaram o trem, e a Luftwaffe bombardeou o túnel no qual o trem e seus operadores estavam localizados.

LEIA TAMBÉM: Rússia ressuscita mais perigoso sistema de artilharia da URSS

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies