3 aviões de decolagem vertical projetados na União Soviética; veja fotos

Domínio público
Engenheiros soviéticos começaram a desenvolver aeronaves para porta-aviões na década de 1960. Devido ao espaço limitado nos navios, a tecnologia de decolagem vertical parecia ideal e foi aprimorada durante quase 40 anos.

Yak-36

Desenvolvido pela fábrica Yakovlev, avião Yak-36 foi um laboratório soviético voador criado nos anos 1960 para testar tecnologias de decolagem vertical. O Yak-36 tinha duas turbinas de vetorização Kólesov RD-36 montadas lado a lado na parte traseira da fuselagem.

Os gases saíam pelos bicos, que podiam alterar sua inclinação a até 90 graus para realizar a decolagem vertical. O Yak-36 nunca foi produzido em série e foi usado apenas para testar tecnologias avançadas.

Yak-38

O sucessor mais famoso do Yak-36 é o Yak-38, que foi usado para acompanhar os porta-aviões soviéticos. No total, a URSS produziu cerca de 150 aviões Yak-38 com diferentes modificações, todos para servir no porta-aviões do tipo Kiev.

O governo soviético autorizou a produção em série dos Yak-38, conhecidos como "Harrier soviético”, no início de 1975. Em outubro de 1976, esses aviões foram entregues à Aviação Naval Soviética.

Durante a operação militar no Afeganistão em 1980, apesar de várias deficiências, o Yak-38 provou ser um combatente muito útil em missões de apoio terrestre e de reconhecimento. Todos os Yak-38 foram retirados de serviço em 1991.

Yak-141

O programa para a construção do caça Yak-141, conhecido na Otan como “Freestyle”, começou em 1975. O objetivo era criar um promissor caça supersônico de decolagem e pouso vertical, para ser a principal aeronave dos grupos de ataque dos porta-aviões soviéticos. As caraterísticas técnicas deviam superar as do avião Sea Harrier dos Estados Unidos, que participou da Guerra das Malvinas, em 1982.

Após seu primeiro voo em 1987, o governo soviético declarou que, em termos técnicos, o Yak-141 superava seus antecessores (Yak-36 e Yak-38), bem como seus equivalentes estrangeiros (Harrier, Dassault Mirage IIIV).

Após o colapso da União Soviética, devido à falta de financiamento, o projeto foi interrompido. Os engenheiros criaram apenas quatro protótipos do Yak-141, que nunca entraram na linha de produção.

LEIA TAMBÉM: Novos porta-helicópteros russos transportarão 16 aeronaves e drones de ataque

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies