Comandantes poderão controlar artilharia por meio de novo tablet russo

TASS
Software permite realizar tarefas de forma remota e segura, enquanto aumenta precisão de disparos. Ministério da Defesa russo já adquiriu primeiro lote.

A empresa russa Armas de Alta Precisão, que faz parte do complexo Rostec, criou um tablet que proporciona às forças de artilharia controle remoto total de suas armas no campo de batalha. O dispositivo, Tablet-A, foi anunciado durante uma exposição de armas nos arredores de Moscou em setembro passado.

A principal vantagem do novo tablet, que possui exclusivamente tecnologias informáticas russas, é aumentar drasticamente a precisão do disparo dos sistemas de artilharia em serviço no Exército Russo.

O software desenvolvido para uso pelos comandantes de equipes de artilharia permite eles resolvam toda uma gama complexa de tarefas de artilharia no menor tempo possível. O aplicativo também reduz consideravelmente o tempo de cálculo balístico e, como dito anteriormente, aumenta a precisão dos sistemas de artilharia.

“É a primeira tecnologia que permite ao comandante operar todas as forças de artilharia ao mesmo tempo a partir de seu tablet. Não é o primeiro tablet de controle remoto dos exércitos mundiais, já que a Rússia segue exércitos estrangeiros nesta busca pela automação e robotização de todas as suas forças militares. Mas é o único tablet no mundo que acomoda artilharia e morteiros”, diz Vadim Kozulin, professor da Academia de Ciências Militares.

O sistema já passou por testes estatais e o primeiro lote, junto com os sistemas de informática dos sistemas de artilharia, foi adquirido pelo Ministério da Defesa.

Sistema batizado

O Tablet-A opera em conjunto com várias ferramentas de inteligência, como telêmetros a laser, diferentes sistemas meteorológicos e estações balísticas, e recebe automaticamente informações: coordenadas de objetos digitalizados, os resultados dos disparos meteorológicos e balísticos são transmitidos para o computador.

O dispositivo também é durável e à prova d'água, podendo passar horas sob a superfície. É compacto e pode funcionar em conjunto com o kit de combate Rátnik-2.

Segundo Kozulin, essa tecnologia teve seu batismo de fogo no conflito na Síria, quando foi utilizada por paraquedistas russos durante ataques a bases inimigas em veículos blindados leves do Tigr com morteiros instalados na parte superior.

“O processador é bastante lento em comparação com o que temos em computadores domésticos, mas o tablet em si é muito durável e você pode até jogá-lo debaixo de um tanque e nada acontecerá com ele. Suporta também a água e os pesados ​​campos radioeletromagnéticos criados para desligar todos os sistemas de informática que operam num determinado território operativo”, acrescenta o especialista.

Potencial bélico

O sistema multifuncional permite controlar todos os sistemas modernos de artilharia russa, bem como projéteis e seu carregamento nas armas. Destina-se a baterias e divisões de canhões autopropulsados e sistemas de foguetes de lançamento múltiplo.

A Rússia conta com uma das forças de artilharia mais avançadas do mundo e com sistemas de todos os calibres – incluindo unidades de artilharia autopropulsadas 2S7M Malka e morteiros autopropulsados 2S4 Tulip – e continua recebendo novos equipamentos, como canhões autopropulsados 2S19M2 Msta-S de 152 mm e o novo obus autopropulsado 2S35 Koalitsia-SV de 152 mm.

Além disso, os engenheiros seguem trabalhando em novos sistemas e tecnologias de artilharia, como morteiros autopropulsados 2S42 Drok de 82 mm e 120 mm e o 2S40 Phlox sobre um chassis com rodas, previstos para os próximos anos.

LEIA TAMBÉM: Kalashnikov cria primeira metralhadora para usar com um iPhone

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies