Como se desenrolam os maiores exercícios militares da Rússia dos últimos 40 anos; veja fotos

Um grande espetáculo com tanques, helicópteros, navios de batalha e centenas de milhares de soldados se realiza diante dos olhos de espectadores da Rússia e de todo o mundo.

Um terço do exército russo se reúne para os maiores exercícios militares do país nos últimos anos, realizados entre 11 e 17 de setembro no Extremo Oriente russo.

Helicóptero Mi-26.

Segundo o Ministério da Defesa da Rússia, mais de 300.000 soldados, 36.000 veículos militares e mais de 1.000 aeronaves foram “colocados em batalhas” no Extremo Oriente da Rússia e no Oceano Pacífico.

Tanque T-72B3.

“Os distritos militares do leste e centro, a Frota do Norte, as unidades aerotransportadas russas, forças ‘além do horizonte’, veículos militares e o comando aéreo tático das Forças Aeroespaciais russas participarão dos próximos exercícios militares”, anunciou, antes dos exercícios, o chefe do Estado Maior das Forças Armadas da Rússia, Valéri Guerâssimov.

Sistema de mísseis antiaéreos S-400 .

Seu objetivo tático é verificar a prontidão dos contingentes do país e verificar se seus militares estão prontos para se transportar em caráter de urgência de um ponto da Rússia a outro se necessário.

Presidente russo assiste a exercícios.

No cenário dos exercícios, um país imaginário (acreditem, mas o país dos jogos não se chama Rússia!) foi atacado por forças estrangeiras e seus militares tiveram que repelir o ataque enquanto se transferiam para cenários de todas as partes de seu vasto território.

Assim, a primeira divisão atuará como inimiga e iniciará um ataque encenado contra a Rússia (ou melhor, Estado inventado), enquanto a segunda divisão defenderá as fronteiras do país.

Quadriciclo А-1.

Desta força, as forças terrestres devem cobrir uma distância de cerca de 7.000 quilômetros, enquanto parte dos navios precisa navegar quase 4.000 milhas náuticas.

Militar com armamento de defesa contra drones REX 1.

Espectadores da Rússia e do mundo todo já puderam testemunhar mais de 1.000 aeronaves (de aviões de combate a bombardeiros estratégicos), helicópteros e até mesmo pequenos drones sendo colocados à prova pelo comando militar.

Tanque Т-72B (à esq.).

Também houve quase 36.000 blindados pesados e leves nos exercícios - desde veículos blindados de transporte de pessoal (VBTP) até unidades de apoio dos mais recentes tanques de batalha T-14 Armata e os T-15 Terminator.

Militares chineses participantes dos  exercícios

O mais importante, porém, é que as forças russas se uniram ao exército chinês. Isto fez com que os exercícios de grande escala – apesar de realizados localmente – se tornassem um assunto político, já que até o Pentágono mencionou estar observando de perto as manobras.

Helicópteros Mi-8.

Este exercício em terra foi apoiado por divisões aéreas e marítimas por toda a Rússia. A Frotas do Norte e a do Pacífico, que são compostas por 80 navios militares e civis, também participam.

Como observou um dos principais generais do país, Aleksandr Gjukov, alguns veteranos de guerra sírios lideraram ataques e defesas durante os exercícios. Assim, os soldados que não foram ao campo de batalha também aprenderam lições práticas.

Tanques ZTZ-96A do exército chinês.

Além disto, um dos objetivos das manobras é a especialização na assistência a países vizinhos em caso de necessidade – como ocorre na cooperação mútua com a China.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? 
Então assine nossa newsletter semanal ou diária.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies