Startup quer massificar impressão 3D com material ultrarresistente: “Até para capa de iPhone”

Anisoprint
Tecnologia permite impressão com fibra de carbono, reproduzindo forma e estrutura de compósitos avançados. Materiais são vitais na construção de naves espaciais e aviões.

Os desenvolvedores da startup Anisoprint, de Moscou, acreditam ter encontrado uma solução para os inconvenientes de utilizar compósitos, materiais super-resistentes que compõem quase 60% da estrutura dos aviões modernos.

“Indústrias diferentes tinham muita esperança nos compósitos, mas ficaram rapidamente desapontadas porque é difícil usá-los adequadamente”, afirma Fiódor Antonov, fundador da Anisoprint.

“Os compósitos são muito anisotrópicos, o que significa que eles são mais fortes ao longo do grão do que através dele, ao contrário dos metais. Os engenheiros, no entanto, colocam camadas de fibras em diferentes ângulos, depois cortam e perfuram o material, o que leva a tensões adicionais e, como resultado, a defeitos. Os desenvolvedores precisam de um material cujas propriedades permaneçam estáveis, independentemente da direção em que a carga é aplicada”, acrescenta Antonov.

A Anisoprint desenvolveu uma tecnologia para impressão 3D de objetos feitos de compósitos. Graças à tecnologia patenteada de instalação de fibras, a impressora é capaz de reproduzir não apenas a forma especificada, mas também a estrutura.

Em 2015, a Universidade da Carolina do Sul, nos Estados Unidos, comprou a única cabeça de impressão desenvolvida pela Anisoprint, tornando-se o primeiro cliente da empresa. Algum tempo depois, um investidor privado injetou cerca de US$ 400 mil para o desenvolvimento da startup moscovita.

Segundo Antonov, entre os parceiros da Anisoprint estão a líder global em aeronáutica Airbus. A startup está agora tentando estender a aplicação da impressão 3D. O desenvolver russo acredita a adoção em massa da tecnologia permitirá a impressão de peças para drones, quadricópteros e robôs, bem como solas de sapatos e, eventualmente, “uma capa não dobrável para o seu iPhone”.

Os compósitos são essenciais para os sistemas da era espacial, incluindo veículos de lançamento e telescópios de observação do espaço profundo. São conhecidos principalmente pela força e durabilidade que conferem aos objetos, embora sejam muito mais leves que outros materiais.

Achou interessante? Então não deixe de ler também "Exoesqueleto russo passa por ensaios clínicos nos EUA antes de seguir à América Latina".

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? 
Clique 
aqui para assinar nossa newsletter.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais