FOTOS incríveis do mosteiro Belogorski, em Perm, literalmente coberto de neve

Legion Media
Esta igreja nos Urais é majestosa independentemente da estação, mas fica ainda mais deslumbrante no inverno. Ironicamente, está situada em Beláia Gora, que se traduz para o português como “Montanha Branca”.

As pessoas estão acostumadas com as cúpulas douradas brilhantes das igrejas ortodoxas refletindo o sol, e o som dos sinos se misturando com o farfalhar das árvores. No entanto, este mosteiro tem tudo a ver com seu “traje” branco como a neve. 

A história do Mosteiro de São Nicolau Belogorski tem raízes no chamado incidente de Ōtsu, quando, em 1891, houve uma tentativa de assassinato do futuro imperador Nikolai 2º.

Nikolai, que até então era grão-duque, estava em uma visita oficial à cidade japonesa de Ōtsu, quando foi atacado, mas conseguiu sobreviver.

No mesmo ano, em homenagem à “fuga milagrosa do perigo no Japão” de Nikolai 2º, uma cruz de dez metros de altura foi instalada na Beláia Gora, nos Urais. Dois anos depois, o mosteiro foi fundado e intitulado ‘Belogorski’ em referência à montanha. O monastério se tornou depois um orfanato e uma escola.

A primeira igreja era de madeira e pegou fogo em 1897. O templo começou a ser reconstruído em 1902 e só foi concluído em 1917, quando consagrado em homenagem à Santa Cruz. Foi projetado no estilo russo, que estava na moda na época.

Após a Revolução de 1917, os bolcheviques mataram o arquimandrita local e vários monges. Cinco anos depois, o mosteiro foi fechado, e um campo de trabalho forçado do Gulag, instalado em seu lugar.

Após a Segunda Guerra Mundial, o mosteiro foi transformado na Casa dos Veteranos de Guerra. Tragicamente, durante outro incêndio, o edifício foi seriamente danificado novamente.

No final da década de 1980, as autoridades começaram a reformá-lo e, nos anos 2010, foi enfim concluído, proporcionando mais uma chance de admirar sua beleza.

LEIA TAMBÉM: O inverno russo na literatura

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies