Para dirigir a 50 graus Celsius negativos, russos chegam até ‘vestir’ carros

Cidade de Nôvi Urengoi a 30 graus Celsius negativos.

Iliya Pitalev/Sputnik
Motoristas das regiões mais frias do país fazem cobertores para os motores dos seus carros e se viram sem aquecimento nas garagens. Aliás, a piada sobre rodas quadradas ali não é só história: o frio é tanto que as rodas mudam de forma!

Para os moradores de muitas regiões russas, os invernos rigorosos são uma constante a que eles e seus carros precisam se adaptar. Em Iakútsk, Norílsk ou Vorkutá faz tanto frio que parece incrível que a vida toda dessas cidades não pare no inverno.

Em Iakútsk, por exemplo, as temperaturas podem chegar a 30 graus Celsius negativos em meados de outubro, portanto a maioria dos moradores deixa seus carros “congelando” no pátio até a primavera, passando a usar o transporte público.

E se você pensa que todo mundo ali tem uma garagem aquecida, se enganou redondamente. Devido ao permafrost, não há estacionamentos subterrâneos em Iakútsk. Alguns edifícios residenciais recém-construídos têm estacionamentos no térreo, mas mesmo isso é raro.

Assim, como em toda parte, os moradores da cidade estacionam seus carros na rua mesmo. Seu principal problema é, portanto, como ligar o carro. Como eles podem fazê-lo quando está 50 graus Celsius negativos do lado de fora?

Aquecedores de carros

Bateria de carro sendo recarregada no Extremo Oriente Russo.

Os moradores do norte russo colocam aquecedores de carros, como os da marca “Webasto”, em seus motores. O custo para a instalação em Iakútsk é de quase 35.000 rublos (R$ 2.000). O sistema é ligado remotamente e, após cerca de uma hora e meia, pode-se dar a partida no carro.

Em Nôvi Urengoi, instalam-se tomadas elétricas nos estacionamentos, mas a atividade é considerada menos segura.

Deixar o carro ligado direto a partir do outono

O método mais radical é não desligar o carro a partir do outono. É isso que muitos motoristas fazem: de outubro a abril, o carro fica com o motor ligado, com a chave dentro e o alarme ativado, e os proprietários usam uma chave reserva para abrir o veículo.

Carro na cidade mais fria do mundo, na Rússia.

E ninguém tem medo de que roubem os carros. "Quem vai roubá-los a uma temperatura de 50 graus Celsius negativos? Com tanto frio, tem pouca gente na rua", explica o arquiteto Serguêi Permiakov, de Iakútsk.

Um truque é deixar o carro em uma leve descida para que a água não se acumule no escapamento - caso contrário, o motor para e é um problema ligá-lo novamente.

Carro com 'cobertor' especial.

Uma grande desvantagem de deixar o motor ligado direto é o grande consumo de combustível. Além disso, se o carro ficar estacionado por um longo período no frio, as rodas deformam: como brincam os moradores locais - mas é sério - elas ficam quadradas.

Noite sob tendas

Garagens portáteis aquecidas não são baratas, mas são muito úteis. Edredons acolchoados são esticados sobre o carro, evitando que ele congele. Essas tendas custam entre 6.000 e 20.000 rublos (R$ 350 a R$ 1.200), dependendo do tamanho do veículo.

"Quando o carro não é usado por um longo período, a capa é esticada sobre ele e, na parte inferior, ela é apertada contra ele, e um tubo de borracha é colocado no amortecedor para ventilar o gás do escapamento. O carro não esfria e, assim, pode ser usado durante todo o inverno", escreve Larissa, uma moradora de Iakútski, no site Drom.ru.

“Para a carroceria do meu carro (um Toyota Vitz), a capa custou 11.000 rublos (R$ 600). São necessários 5 a 10 minutos para colocá-la, e é ainda mais rápido para retirá-la".

Para-brisa duplo

Um exemplar da famosa

Veja como Iakútsk é bonita no inverno! Quando as temperaturas caem abaixo de 40 graus Celsius negativos, a cidade fica coberta por um nevoeiro congelado e parece que as pessoas dirigem dentro de uma atmosfera leitosa.

Com uma visibilidade assim, os motoristas cobrem as janelas laterais por dentro com um filme especial que retém o calor. Com ele não se pode abrir as janelas do veículo - mas quem vai querer fazê-lo a 50 graus Celsius negativos?

Também é comum instalar um segundo para-brisas externo para evitar que o vidro principal quebre no caminho. Muita gente também deixa de usar os limpadores de para-brisa no inverno para evitar qualquer coisa do gênero.

Cobertor de motor

Automóvel parado na rua e cheio de cobertores.

Quando faz entre 50 e 60 graus Celsius negativos no ambiente externo, um carro despreparado congela em questão de minutos: os líquidos engrossam, as peças de borracha tornam-se quebradiças e se espatifam, e as janelas congelam. Assim, muitos motoristas começam a aquecer seus veículos a partir do outono.

Nas oficinas mecânicas, o serviço custa cerca de 500 rublos, segundo Larissa.

"O amortecedor é enrolado com amianto e a parte inferior é coberta com lona. No motor coloca-se feltro ou uma ‘manta para carros’, o que permite que o motor aqueça mais rápido e também evita que ele esfrie rapidamente. Alguns artesãos chegam até mesmo a fabricar cobertores para a bateria. E também é com feltro que se aquece o piso do salão do carro", explica.

LEIA TAMBÉM: As 5 estradas mais perigosas da Rússia

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies