15 fotos inacreditáveis da Tchukotka

Os fotógrafos Oleg Zotov e Ida Rutchina estiveram em expedição ao krai russo da Tchukotka, onde registraram veados, baleias e uma natureza selvagem de encher os olhos. Seu projeto fotográfico sobre a Tchukotka é uma verdadeira saga épica e será exposto na Galeria Tretiakov, em Moscou.

A Tchukotka é uma península no fim do mundo — ou, mais especificamente o ponto mais oriental da Rússia. Aqui, em uma região agreste, fica a cidade mais setentrional do país, Pevek, cheia de fortes ventos na maior parte do ano. A tundra local é habitada por povos indígenas, entre eles, os tchuktchi, esquimós e outros. As fotos de Oleg e Ida refletem a incrível natureza selvagem do lçocal e as pessoas que vivem neste habitat intocado.

1. PlanetaTchukotka

A Tchukotka é uma terra onde a eternidade congelou. Os primeiros pioneiros russos chegaram ali em meados do século 17, mas as paisagens locais mudaram pouco desde então.

2. Orgulho da tundra local

O pastoreio doméstico de renas é a base da vida tradicional dos povos indígenas da Tchukotka. A população de renas da Tchukotka atualmente é de 198.000 cabeças.

3. Soberana da tundra

Para os moradores locais, as renas não são só um meio de transporte, comida e roupa, e sim parte do próprio folclore local. Os tchukchi têm um feriado inteiro dedicado a esses animais: ele marca o dia em que as renas perdem seus chifres. Os chifres são coletados e usados ​​para uma variedade de propósitos, incluindo suvenires.

4. GarotadeUelkal

A caça de animais marinhos e a baleias especificamente compõem uma importante indústria local histórica. Uelkal é uma aldeia esquimó localizada às margens do Mar de Bering onde há muitos ossos de baleia. A população local fabricava utensílios domésticos com eles.

5. Ritos

Elementos da cultura pagã tradicionais e rituais são frequentemente encontrados no dia a dia dos povos nativos. Ao convocar os espíritos da tundra e as forças da natureza, eles prestam homenagem a sua terra ancestral.

6. O silêncio do Lago Ravkerguiguitguin

A montanha Tsvetok é uma dos mais pitorescas da Tchukotka fica localizada acima do lago Ravkerguiguitguin (na língua tchukchi, "lago transparente"). Sua tonalidade laranja é o resultado de derramamentos de limonita (óxido de ferro).

7. Verãona IlhaWrangel

Um dos lugares mais enigmáticos e deslumbrantes do planeta, a Ilha Wrangel foi descoberta há 150 anos pelo baleeiro norte-americano Thomas Long. Esta reserva natural do Ártico tem flora e fauna únicas.

8. Refúgio de fé

A Igreja da Exaltação da Santa Cruz foi construída no assentamento de Egvekinot em 2016 e é a primeira igreja de pedra na Tchukotka.

9. Trânsito dos tchukchi

Os cães de trenó tchukchi existem há mais de 2.500 anos e até hoje são ajudam as pessoas, tanto para viajar longas distâncias quanto para caçar.

10. Conto de fadas da Tchukotka: o Rei Cão

É importante determinar o líder da matilha de cães. Desde o nascimento, eles são criados de maneira especial, pois devem atuar como intermediários entre seus donos e os demais cães de trenó, localizando-se perfeitamente na neve e na escuridão.

11. Capital da terra da Tchukotka

Fundado em 1889, Anadir começou a se desenvolver na década de 1950 como um porto marítimo. Na década de 2000, a cidade passou por uma reconstrução completa com base em estratégias de planejamento urbano e tecnologias de design antidepressivas modernas para assentamentos polares.

12. Nivelando o horizonte

Teikev é o nome dado à luta tradicional da Tchukotka, usada como forma de resolução de disputas. Ela tem estilo livre na forma e os lutadores andam de peito nu em qualquer clima.

13. Quatro sois do meridiano 180º

O halo solar é um fenômeno ótico único e espetacular. Na deslumbrante luz do sol refratada, os fotógrafos conseguiram capturar quatro sóis de uma vez.

14. Calor vivo

A lareira da casa tchuktchi é um símbolo vital da vida familiar, da felicidade e da cordialidade. Acima da lareira há um buraco pelo qual, acreditam os tchukchi, seus ancestrais os vigiam. A família Vikviragtirguirgui preserva cuidadosamente sua língua e cultura tchuktchi para transmiti-las aos filhos.

15. Pontodepartida

Se espetarmos mentalmente o globo no Meridiano de Greenwich, noReino Unido, a outra extremidade do eixo imaginário surgirá na Tchukotka, perto de Egvekinot. Aqui, o meridiano 180 se cruza com o Círculo Polar Ártico, que marca o início de um novo dia não apenas para a Rússia, mas para o planeta todo.

A exposição “Tchukotka. Saga Épica” está em cartaz na Nova Galeria Tretiakov até 7 de fevereiro de 2021. Veja mais fotos aqui.

LEIA TAMBÉM: 3 povos indígenas da Rússia que ignoram a civilização e sobrevivem como seus antepassados ​​

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies