4 locais estonteantes próximos a São Petersburgo com um histórico imperial

É comum que turistas estrangeiros se limite principalmente a dois locais fora de São Petersburgo: o Petergof (também conhecido como Peterhof) e o Palácio de Catarina, em Tsarskoie Selo. Então confira nossas dicas de quatro lugares que poucos visitantes percorrem, mas que certamente merecem uma visita!

1. Parque Aleksandria

Capela em estilo gótico no Parque Aleksandria.

Este parque sempre foi ofuscado por seu pomposo vizinho Petergof, que atraiu 5,3 milhões de turistas em 2017 graças a suas fantásticas fontes e esplêndidos palácios. Construído como a datcha (casa de campo) privada de Nikolai I, o "Aleksandria" foi batizado em homenagem à mulher do tsra, Aleksandra Feodorovna.

Apesar de ser um chefe de Estado severo, Nikolai era um marido amoroso e compassivo, e tratava a mulher como uma verdadeira dama. É por isso que a residência deles tem um parque paisagístico romântico, uma capela construída em estilo neo-gótico e o Palácio Chalé, que mais parece uma casa particular inglesa.

“Amo Aleksandria por seus poucos turistas, pelos idosos que o frequentam e pelo incrível pôr do sol no Golfo da Finlândia”, diz a guia de turismo Natalia Dubovik, que às vezes mostra sua joia a visitantes curiosos.

“Ele não traz a impressão de residência imperial luxuosa que os estrangeiros esperam ver em São Petersburgo. Mas, pelo contrário, parece muito humano. É fácil imaginar como Nikolai viveu ali com sua família, criando os filhos e praticando esportes quando vemos o playground de madeira reformado do século 19.”

Os moradores locais também admiram a fauna do parque, com inúmeros açafrões, ervas aromáticas e cedros siberianos.

Como chegar: peterhofmuseum.ru

2. Oranienbaum

Palácio chinês em Oranienbaum.

Localizado na mesma costa litorânea, mas mais a oeste de Petergof, este parque foi estabelecido em 1711 como a residência do conde Aleksandr Menchikov, o primeiro governador-geral de São Petersburgo e amigo mais próximo de Pedro, o Grande.

Não é claro o motivo de o parque ter ganhado um título que soa alemão. Reza a lenda que, quando Pedro apresentou o lote de terra a Menchikov, seus servos descobriram uma estufa cheia de laranjas amargas com a inscrição: “ORANIENBAUM”, escrita em letras garrafais sobre cada uma delas.

Na segunda metade do século 18, o parque foi transformado em datcha particular de Catarina, a Grande. Foi ela quem encomendou a construção do palácio chinês. A moradora de São Petersburgo Daria Machkina compara o palácio a uma joia escondida na floresta.

“Você entra e prende a respiração. Pinturas em painéis de seda convivem com pássaros e plantas exóticas, magníficos pisos de madeira, decorações de parede feitas de marfim, isto para mencionar somente um pouco.”

Como não foi ocupado ou destruído pelos nazistas durante a Segunda Guerra Mundial, o palácio é a única residência real em estilo rococó que preservou sua autenticidade.

Como chegar: peterhofmuseum.ru

3. Parque Aleksandr em Tsarskoie Selo

Estátuas da Ponte Chinesa, no Parque Aleksandr.

O parque e o palácio foram nomeados em homenagem a Aleksandr I, que os recebeu como presente de casamento de sua avó, Catarina, a Grande.

O último tsar russo, Nikolai II, adorava o lugar e, em 1905, transformou-o na residência da família. Foi ali também que, junto com a esposa e os filhos, ele foi mantido em prisão domiciliar antes de ser exilado na Sibéria, em agosto de 1917.

Ao caminhar pelo Parque Aleksandr, que tem cerca de 200 hectares, os visitantes podem viajar pelo tempo e pelo mundo.

A Grande Ponte Chinesa e o elegante arco “Grande Capricho” nos levam à era de Catarina, a Grande, quando a arte chinesa estava na moda na corte.

As crianças se divertem escalando a colina artificial "Monte Parnaso", cujo nome provem da mitologia grega. Os pavilhões Arsenal e Torre Branca lembram a arquitetura medieval.

Como chegar: tzar.ru4.

4. Fortaleza Orechek

Localizado em uma ilha, este forte é o lugar perfeito para viajar de volta à história anterior a Pedro, o Grande (1672–1725), e antes mesmo de a cidade de São Petersburgo ser construída.

O tratado de paz assinado em 1323 tornou-se o primeiro acordo fronteiriço entre a Suécia e a República de Nôvgorod. Ainda assim, os habitantes de Nôvgorod continuaram a lutar constantemente com os suecos por essas terras, mas os últimos terminaram se apoderando delas em 1611.

Eles as melhoraram significativamente, e hoje os turistas podem visitar o interior da última torre sueca remanescente.

A fortaleza foi renomeada como Nöteborg ("fortaleza da noz") e o nome russo "Orechek" tem o mesmo significado. Ela desempenhou papel crucial durante a Grande Guerra do Norte: Pedro, o Grande, participou em carne e osso de sua invasão, em 1702, e a vitória lhe permitiu descer o rio Nievá e estabelecer São Petersburgo um ano depois.

Mas o lugar perdeu seu significado estratégico e se tornou uma prisão política medonha. Os visitantes podem ver as velhas celas e o local onde Aleksandr Ulianov, irmão de Vladímir Lênin, foi enforcado.

Quando você estiver cansado de história e do trágico destino dos prisioneiros, faça um piquenique perto das paredes externas de Orechek e aprecie a vista do Lago Ládoga, observando os pescadores e pássaros locais.

Note que a fortaleza está aberta apenas entre 1 de maio e 31 de outubro, e é preciso pegar um barco para chegar até ela.

Como chegar: www.spbmuseum.ru

Quer fazer uma viagem nada turistão mainstream por "Pete"? Então conheça "5 histórias de terror de arrepiar os cabelos em São Petersburgo".

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? 
Clique 
aqui para assinar nossa newsletter.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais