10 igrejas em Moscou de ajoelhar

Todos os livros e blogs turísticos aconselham visitar as principais catedrais da cidade: São Basílio, Cristo Salvador e igrejas dentro do Kremlin. O Russia Beyond Brasil apresenta agora alguns tesouros escondidos, mas adorados por moscovitas.

  1. Convento de Novodevichy

Esse lugar verdadeiramente pitoresco possui um parque e lagoa com patos nas redondezas e oito igrejas que valem a pena visitar. O convento é listado pela Unesco como um exemplo do estilo barroco moscovita. Foi fundado em 1524, antes da dinastia Romanov, e usado como centro para negociações durante o Tempo das Dificuldades, no final do século 16 e início do 17. Se estiver em Moscou na Copa do Mundo de 2018, esse é um passeio conveniente, pois fica muito perto do estádio Lujniki. A principal e mais antiga catedral do convento é dedicada ao ícone da Nossa Senhora de Smolensk. Ao entrar no convento através dos portões principais, não deixe de olhar para cima – há outra igreja bem acima de sua cabeça. 

  1. Igreja de São Nicolau, em Khamovniki

A cerca de 20 minutos a pé do convento de Novodevichy, não muito distante da estação de metrô Park Kultury, há uma igreja dedicada a São Nicolau, mais frequentemente chamado pela Igreja Ortodoxa Russa de Nicolau, o Milagreiro.

Essa igreja, que se parece mais com um bolo de pão de mel do que um local de culto, é um exemplo do chamado estilo decorativo de Moscou, ou ornamentalismo moscovita, um estilo arquitetônico da primeira metade do século 17.

A principal relíquia da igreja é o ícone da Nossa Senhora Refúgio dos Pecadores.

  1. Convento da Natividade

O convento de Rozhdestvensky (Natividade) foi fundado nos anos 1380, antes mesmo de a Rússia antiga se unir na memória daqueles que foram mortos durante a grande Batalha de Kulikovo. A primeira localização do mosteiro teria sido dentro do próprio Kremlin de Moscou, mas depois se mudou para seu ponto atual, o qual empresta o nome – rua Rozhdestvenka e bulevar Rozhdestvensky. O convento foi fechado em 1922 pelas autoridades soviéticas, e, durante 70 anos, os edifícios clericais serviram de escritórios, laboratórios científicos, cantinas e outras necessidades. Havia planos de transformá-lo em um museu arquitetônico, mas em 1992 foi devolvido à Igreja.

Existem várias igrejas bonitas dentro, como a da Natividade, construída no início do século 16, ou a Catedral da Nossa Senhora de Kazan, erguida de 1904 a 1906. Seu interior é bastante incomum, com painéis gigantes de estrelas que se elevam em direção ao teto arqueado. As cerimônias religiosas acontecem nos fins de semana.

  1. Igreja de São Clemente

Apertada entre outros edifícios, essa igreja de tijolos vermelhos está situada na pequena e estreita rua Klimentovsky, embora seja a maior do bairro de Zamoskvorechye. Esse templo foi construído e reconstruído durante o século 18 no estilo barroco “elizabetano” de Moscou.

Como muitas outras igrejas, a de São Clemente foi fechado durante a época soviética e usada como depósito de livros da Biblioteca Estatal de Lênin. Foi devolvida à Igreja em 2008, e os trabalhos de restauração começaram seis anos depois.

A catedral está situada bem ao lado da estação de metrô Tretyakovskaya, motivo pelo qual vale a pena esticar o passeio e dar uma passadinha na Galeria Tretyakov. 

  1. Igreja de São Gregório de Neocesareia

Outra catedral pintada de vermelho, na rua Bolshaya Polyanka (a um minuto a pé da estação de metrô Polyanka e a 15 minutos a pé da Igreja de São Clemente), a Igreja de São Gregório é realmente única. Há coroas nas cruzes, o que significa que o tempo foi construído por ordem do tsar – e era, de fato, muito amada por vários Romanov.

Nesta igreja, o segundo tsar Romanov, Aleixo, casou-se com Natália, e, mais tarde, seu filho, o futuro tsar Pedro, o Grande, foi ali batizado.

Na década de 1930, a igreja foi fechada, os iconostásios, danificados, e o sacerdote local, reprimido; os serviços litúrgicos só foram retomados em 1996. A igreja possui várias relíquias reverenciadas, como detalhes de santos e restos de ícones antigos – o coral local também impressiona, mesmo aqueles que não são religiosos.

  1. Igreja da Natividade, em Putinki

Para quem já viu a Praça Vermelha, as muralhas vermelhas do Kremlin e as paredes vermelhas de São Basílio (ou as igrejas vermelhas mencionadas acima), temos certeza de que seus olhos precisam de um pequeno descanso. Essa igreja branca, acolhedora e agradável, na rua Malaya Dmitrovka, não fica muito longe da famosa rua Tverskaya. O termo “Putinki” não tem nada a ver com o presidente russo Vladimir Putin; refere-se, porém, à palavra “put” (estrada), já que os embaixadores do século 17 ficavam nas redondezas durante o trajeto para as cidades no norte da Rússia.

A catedral é peculiar por dentro: pequena e escura, não tem nada em comum com a pompa dourada de algumas igrejas modernas. Nos ícones antigos, é também possível observar joias doadas pela paróquia. Além disso, o teatro Lenkom, que fica bem ao lado, pode ser uma ótima opção de passeio para quem já conhece um pouco de russo.

  1. Catedral de Nossa Senhora do Sinal, em Kuntsevo

No século 18, Alexandre Narichkin, primo de Pedro, o Grande, e membro de uma antiga família nobre que possuía uma propriedade em Kuntsevo, construiu uma igreja ali. No início do século 20, foi decidido reconstruir totalmente a igreja no estilo (incomum naqueles tempos) neobizantino. A atual “basílica” foi inaugurada em 1913, mas, como muitas outras igrejas, acabou sendo fechada na década de 1930 pelas autoridades soviéticas e ficou severamente danificada. Foi reaberta em 1991.

Vale a pena visitar não só a igreja, mas também dar uma volta pelo pitoresco parque Filyovsky. Embora a propriedade de Narichkin esteja fechada, há um café agradável na Usadba (propriedade), onde é possível beliscar alguma coisa. A estação de metrô Pionerskaya (na linha azul, a 20 minutos de carro do centro) não fica longe.

  1. Igreja da Ascensão, em Kolomenskoye

O parque Kolomenskoye é um excelente lugar para dar uma volta, e isso o fará se sentir como um boiardo russo do século 16. Foi o pai de Ivan, o Terrível, Vassíli 3º, que alocou fundos para a construção da igreja de 1528 a 1532. Diz a lenda que construir uma “nova casa de Deus” foi a oração de Vassíli para sua esposa dar à luz um filho. Outras fontes dizem que foi em gratidão após o nascimento de Ivan.

A aparência atual da igreja não é a mesma de 500 anos atrás; a catedral foi reconstruída e restaurada muitas vezes.

Apesar disso, no século passado foram revelados detalhes interessantes como o chamado “lugar do tsar” e vestígios dos portões do norte.

  1. Igreja de Nossa Senhora de Vladimir, em Bikovo

Para uma experiência clerical bem incomum, é preciso ir mais longe, nos entornos de Moscou. Esta igreja parece um castelo gótico do filme “A Bela e a Fera”. Foi construída no território da propriedade Vorontsov-Dashkov, agora abandonada, mas ainda é um lugar interessante para uma caminhada. Alguns especialistas afirmam que a igreja é reminiscente do estilo do famoso arquiteto Vassíli Bajenov, responsável pelo Parque Tsaritsino e pela Casa Pachkov, ambos em Moscou.

Dentro, a igreja é muito pequena e pouco impressionante; há trabalhos de restauração em andamento dentro e fora do templo.

  1. Igreja do Sinal da Santíssima Virgem Maria, em Dubrovitsy

As imagens dessa igreja são de tirar o fôlego (veja a foto da capa). Se não fosse pela no topo, muitos nunca imaginaria, que se trata de uma igreja ortodoxa. Por dentro, ela também impressiona, com seus afrescos que se estendem até a cúpula.

A igreja está situada na margem do rio Pakhra e há um parque bem legal nos arredores. Esse é também um dos lugares mais populares para casamentos na região de Moscou (e o cartório de registro fica a apenas um minuto a pé da igreja).

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies