Prós e contras de hotéis nos aeroportos de Moscou e São Petersburgo

Hilton fica próximo ao Fórum Econômico Internacional de São Petersburgo, que está programado para o fim de outubro.

Hilton fica próximo ao Fórum Econômico Internacional de São Petersburgo, que está programado para o fim de outubro.

Hilton São Petersburgo ExpoForum
Passar sua estadia na capital em um deles até é possível, enquanto em São Pete é preciso cogitar.

Quando conheço alguém visitando Moscou pela primeira vez, aviso logo que suas impressões sobre a cidade melhorará muito assim que deixar o aeroporto.

Se este é o seu caso, tenha paciência enquanto é acotovelado por passageiros barulhentos na fila do controle de passaportes e recebe ordens de agentes nada amigáveis. Tente não reparar muito nesse cenário desolador enquanto se apressa em direção a uma acolhida mais amigável. E, sobretudo, anime-se: tudo mudará em seguida!

Mas não tenha medo de se hospedar nos aeroportos russos: suas acomodações estão cada vez melhores.

Área de trânsito

Sheremêtievo tem até mesmo um hotel em cápsulas.

Moscou é o sistema nervoso da Rússia, e não está acostumada com turistas comuns. Para a maior parte das pessoas, a capital russa não passa de um local de trabalho. Os primeiros voos comerciais chegam por volta do horário de almoço e as primeiras partidas na manhã seguinte saem logo após a meia-noite. Por isso, viajantes com agendas apertadas precisam aproveitar ao máximo as facilidades que o aeroporto oferece.

As acomodações no local eram monopólio da empresa Novotel, que ainda diz oferecer o “quarto limpo mais próximo do aeroporto Sheremêtievo”, mas novos concorrentes estão surgindo, de acordo com o empresário Haslen Back.

“As opções melhoraram muito desde a década de 1990. Sheremêtievo tem até mesmo um hotel em cápsulas!”, concorda o fundador e CEO da empresa Esensual Living, James Cook, referindo-se ao novo hotel da bandeira Radisson Blu.

Misturando negócios e prazer

Staff confere tom de turismo a este hotel frequentado basicamente por empresários.

Uma viagem recente a São Petersburgo me fez pensar nas mudanças no setor hoteleiro local. A cidade sempre está em clima de férias, mesmo quando não se está de folga. E assim estava ela em minha última visita, não exatamente ao romântico centro da cidade, mas a uma área remota, a cerca de sete quilômetros do aeroporto Púlkovo.

O hotel Hilton São Petersburgo Expoforum causa uma grande impressão à distância. Suas enormes paredes de cor amarelo-mostarda erguem-se ao lado do hotel vizinho, o Hampton by Hilton, na área do Expoforum, construído bem a tempo do Fórum Econômico Internacional de São Petersburgo, que está programado para o fim de outubro.

O novo empreendimento entra na categoria de hotel de negócios, mas o orgulhoso staff lhe dá um tom diferente, com sua hospitalidade focada em um lifestyle turístico. A inauguração de um salão frequentemente usado para conferências, por exemplo, foi marcada por um concurso de dança.

Uma das hóspedes se sentiu tão à vontade que perguntou se seria apropriado descer para o café da manhã em suas pantufas.

Também fiquei muito tentada, e suspeito que teria me sentido menos deslocada se não tivesse que passar por multidões de participantes de conferências usando minhas roupas de ginástica para enfrentar as temperaturas congelantes do lado de fora e usar a academia temporária ao lado do hotel.

A boa notícia é que um complexo permanente de beleza e bem-estar está em um estágio avançado de construção e, além de spa, terá uma piscina de 25 metros de comprimento.

Nos meses de verão, as janelas do complexo serão abertas para que os frequentadores possam se esticar em cadeiras ao sol.

Indo e voltando

Sheremêtievo tem até mesmo um hotel em cápsulas.

O acesso aos aeroportos de Sheremêtievo e Domodêdovo, em Moscou, é fácil e pode ser feito com os pontuais trens Aeroexpress. Mas, se você tiver mais tempo sobrando, o Uber é uma opção mais em conta.

Moscou é uma dessas cidades que nunca dorme, e o trânsito ali é notório. Por isso, Michael Pugh, ex-morador de Moscou e atual presidente do Festival Literário Llangwm, recomenda que se passe uma última noite na cidade no teatro Bolshoi, após o que, segundo ele, uma refeição no Café Púchkin é essencial – e, enquanto isso, o trânsito deve melhorar.

Gastando o tempo dessa maneira, a viagem ao aeroporto levará a metade do tempo e você levará apenas cinco minutos para fazer o check-in no dia seguinte depois de passar a noite confortavelmente em um dos hotéis localizados nos aeroportos.

Já o aeroporto de Púlkovo, em São Petersburgo, não é bem servido pelo transporte público, e o trem expresso continua em construção. A única opção é pegar um micro-ônibus na estação de metrô, e passageiros frequentes podem não se animar com as jornadas para a cidade, que podem facilmente levar uma hora.

Eles podem se aproveitar da proximidade do palácio Catarina, que recomendo fortemente. A pequena distância, é possível driblar as multidões e passar a manhã em meio ao luxo da Rússia pré-revolucionária.

Outro benefício de se hospedar no aeroporto é acordar com a bagagem já feita. O resto da viagem pode ser feita no piloto automático!

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Leia mais