Cinco dicas para gastar pouco no maior país do mundo

Mesmo com rublo em baixa, viagem à Rússia pode sair mais cara do que se imagina se não for bem planejada

Mesmo com rublo em baixa, viagem à Rússia pode sair mais cara do que se imagina se não for bem planejada

Alena Repkina
Saiba como reduzir gastos com transporte e conhecer pontos menos manjados.

Sabemos bem como é: você, enfim, chegou à Rússia e está pronto para fazer tudo o que sempre sonhou. Mas as entradas, passeios e gastos de transporte vão se somando, e você logo sente que está gastando todo o dinheiro só para se locomover e comprar ingressos.

Fato é que os visitantes tendem a fazer as coisas da maneira mais óbvia – o que é, muitas vezes, também a mais cara. A Gazeta Russa selecionou algumas maneiras de reduzir os gastos com transporte e outras atividades durante uma viagem pelo país:

1. Use transporte público sempre que possível

Ilustração: Alena RepkinaIlustração: Alena Repkina

Quem chega dos EUA supõe, talvez, que o transporte público na Rússia não seja tão bom quanto o de Nova York. Brasileiros, por sua vez, tendem a suspeitar da qualidade desse tipo de serviço. No entanto, nenhuma dessas concepções se aplica à Rússia – até mesmo em cidades relativamente pequenas do país, o transporte público funciona bem.

Portanto, pesquise as rotas com antecedência e, em vez de torrar todo o seu dinheiro em corridas de táxi, permita-se cruzar com moradores locais no metrô, por exemplo.

2. Compre um cartão de transporte (e saiba o que você está comprando!)

Ilustração: Alena RepkinaIlustração: Alena Repkina

Nas cidades maiores, há cartões reutilizáveis, do tipo bilhete único, com várias opções de recarga (metrô ou ônibus apenas, ou também integração de metrô e ônibus). Preveja seus gastos com transporte e compare com o preço do cartão – quase sempre vale a pena.

Dicas de um morador local e a compra de um cartão de transporte podem garantir uma excelente viagem. Segundo a estudante norte-americana Karina McCorkle, 24 anos, o cartão “Troika” é indispensável para usar o transporte público em Moscou. Isso porque funciona no metrô, ônibus, bondes e até mesmo para viagens de curta distância em trens.

3. Use o aplicativo de carona

Ilustração: Alena RepkinaIlustração: Alena Repkina

Sobretudo em Moscou e São Petersburgo, o app BlaBlaCar já se tornou uma febre. É bastante útil em viagens de ida para outras cidades na região de Moscou, passeios de um dia pelo Anel de Ouro, e outras excursões próximas a essas duas grandes cidades.

4. Visite museus menos manjados

Ilustração: Alena RepkinaIlustração: Alena Repkina

“A fila é longa, mas a entrada é gratuita”, diz a escritora norte-americana Christina Rosivack, 26 anos, sobre os museus famosos que oferecem entrada livre em alguns dias do mês. Mas a verdade é que as filas são muito longas e ninguém quer perder um dia inteiro de viagem apenas para economizar alguns rublos.

A dica é: quando estiver em São Petersburgo, espere o dia de entrada livre do Hermitage e fuja para outros locais de exposição, como o Museu de História Política ou o Museu da Defesa e Cerco a Leningrado. Esses nomes podem soar um tanto pesados para os turistas, mas, além de muita informação interessante, ambos os museus são bem em conta.

5. Ande até não poder mais

Ilustração: Alena RepkinaIlustração: Alena Repkina

O Hermitage é incrível, e o Museu de Arte Moderna de Moscou impressiona qualquer um. Mas, quando o dia está limpo e o clima, agradável, nada melhor do que bater perna pela cidade para conhecer outros pontos menos batidos.

Anote, por exemplo, os nomes de algumas igrejas antigas. Quando chegar a elas, tire um tempo para admirá-las e descansar. Continue seguindo por ruazinhas nos entornos e você, provavelmente, achará um museu pequeno e obscuro, mas rico em curiosidades. Passeie por parques, encante-se com a dança das inúmeras fontes e aprecie tudo aquilo que os moradores locais nem mais prestam atenção no dia a dia. Lembre-se de marcar tudo isso em um mapa para poder rememorar o grande passeio feito ao longo do dia.

Enfim, suba em um edifício alto da cidade em que estiver – em São Petersburgo, por exemplo, na Catedral de Santo Isaac – e tente achar todos os pontos marcados no mapa. Não é tão fácil como parece, mas é uma boa forma de conhecer a cidade.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail?
Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.