10 kremlins russos que você precisa visitar

Tula, Kazan, Ástrakhan – adicione esses destinos à sua lista de viagem! Sempre pensou que o kremlin fosse o nome do castelo de tijolos vermelhos em Moscou? A verdade é que se trata de um termo geral em russo para se referir a cidadelas na Rus medieval. Na época medieval, havia mais de 400 kremlins no território russo, mas apenas cerca de 20 deles foram preservados. Confira abaixo os 10 mais bonitos.
  1. Velíki Nôvgorod, o kremlin das crianças

Sob o reinado do tsar Ivan, o Terrível, Velíki Nôvgorod (530 km ao norte de Moscou) se viu envolvida em uma discórdia política. Após ser informado de que Nôvgorod planejava cortar laços com Moscóvia, Ivan 4º sitiou a cidade insurgente e submeteu os locais a uma repressão brutal. Reza a lenda que a carnificina cessou apenas quando um pombo, que atravessou vários mares, pousou na cruz no topo da Catedral de Santa Sofia e, tendo testemunhado a violência abaixo, transformou-se em pedra.

A lenda supostamente tem raízes no costume bizantino de coroar as cruzes de igrejas com pombos de ferro, já que o Império Bizantino teve um impacto profundo e duradouro na jovem Rus Kievana. Aliás, a avó do tsar era Sophia Paleolog, que vinha da última dinastia de imperadores bizantinos.

Antes do século 14, essa construção se chamava Detinets, ou ‘fortaleza’, e abrigava os guarda-costas do príncipe chamados de ‘jovens’ ou ‘crianças’.

Junto com o Kremlin de Moscou, está listado como Patrimônio Mundial da Unesco.

  1. Tula, o rival de Moscou

No Tempo de Dificuldades, após a morte de Ivan, o Terrível, o Kremlin de Tula (180 km de Moscou) chegou muito perto de substituir o de Moscou como a residência do tsar. Foi ali que o falso Dmítri 1º, que afirmou ser o filho mais novo sobrevivente de Ivan 4º, fez o juramento de fidelidade aos boiardos e à nobreza russa.

O Kremlin de Tula foi erguido por arquitetos italianos que chegaram à cidade após concluir o de Moscou. Segundo os historiadores, a cidadela foi construída por várias equipes diferentes, o que explica as aparentes discrepâncias entre suas muralhas.

  1. Zaraisk, o kremlin mais pequenino

O Kremlin de Zaraisk (a 150 km de Moscou) foi uma das poucas fortalezas que permaneceu fiel ao trono de Moscou no Tempo de Dificuldades (1598 a 1613). Era a menor cidadela de pedra da Moscóvia. Dali, o príncipe Dmítri Pojarski partiu com seu Exército voluntário na primeira tentativa de resgatar Moscou da ocupação polonesa.

Embora esse kremlin tenha um tamanho modesto, ele guarda uma passagem inexplorada, que, acredita-se, estaria conectada a uma rede de masmorras subterrâneas em uma das torres. Apesar dos muitos cercos, cidade foi capturada apenas uma vez, e por um breve período, durante o Tempo de Dificuldades. Talvez, a força da cidadela esteja justamente nas catacumbas a serem descobertas.

  1. Kolomna, a prisão da falsa tsarina

Em seu início, no século 18 e começo do 19, o Kremlin de Kolomna (120 km ao sul de Moscou) foi uma das maiores fortalezas de seu tempo. Mas os locais tiraram a maior parte dele, utilizando as muralhas envelhecidas como materiais de construção. Um decreto de Nicolau 1º ajudou, enfim, a preservar o que restava da fortaleza.

O Kremlin de Kolomna possuía 17 torres, das quais uma foi nomeada em homenagem a Marina Mniszech, a esposa do falso Dmítri 1º, que teria sido presa na mesma torre em que morreu posteriormente. Uma das lendas, porém, sugere que a tsarina não morreu, mas sim transformou-se num pássaro e voou pela janela.

De acordo com outra teoria, o nome da torre poderia ter a ver com o de uma freira local que foi acusada de ser lésbica e que, mais tarde, foi colocada ali para proteger outras freiras dessa tentação “mórbida”.

  1. Tobolsk, o exílio na Sibéria

Tobolsk (2.415 km a leste de Moscou) é lar da única fortaleza de pedra da Sibéria. O kremlin local possui um campanário especialmente erguido como um “lugar de exílio” para o sino que ecoou o alarme na cidade de após o assassinato do príncipe Dmítri, o verdadeiro filho de Ivan, o Terrível. Pelas ordens do príncipe Chuiski, o próprio sino foi submetido a uma execução formal, da mesma forma que o processo era aplicado aos seres humanos: sua ‘língua’ (válvula) e cânones (‘orelha’) foram removidas, e o objeto em si foi exilado na Sibéria.

  1. Kazan, a atração para caçadores de tesouros

O Kremlin de Kazan (800 km a leste de Moscou) é uma atração e tanto para os caçadores de tesouros, já que era a sede dos cãs tártaros que colecionavam saques de outros principados russos.

Um de seus principais marcos é a torre de vigia inclinada Syuyumbike. Reza a lenda que a beleza estonteante da rainha tártara Syuyumbike ganhou o coração do governante mais brutal de Moscóvia, Ivan, o Terrível. O tsar russo pediu a mão de Syuyumbike, mas a rainha orgulhosa se recusou a casar com ele. Furioso, Ivan atacou Kazan com seu exército, e Syuyumbike foi obrigada a aceitar o pedido. Como presente de casamento, ela pediu ao noivo que construísse uma torre em sete dias, e então se jogou do topo da estrutura durante a festa de casamento.

Esse local é também é Patrimônio Mundial da Unesco.

  1. Pskov, o sinal dos céus

Pskov (725 km a oeste de Moscou) era a pátria da princesa Olga, conhecida como a primeira membro da classe dominante russa a adotar o cristianismo, antes mesmo do grande batismo da Rus. E a própria princesa iniciou a construção do kremlin local.

No centro da fortaleza encontra-se uma igreja que, de acordo com relatos, foi encomendada por Olga depois de ela vir três raios de luz dos céus se convergindo sobre uma ponta rochoso onde dois rios se encontravam. Após essa visão divina, a princesa deu ordens para construir a Igreja da Trindade e a cidadela.

  1. Níjni Nôvgorod, uma fortaleza feminina

A cidadela de pedra de Níjni Nôvgorod (420 quilômetros a leste de Moscou) foi construída no século 16. Diz a lenda que, em 1520, os tártaros planejavam atacar Níjni Nôvgorod, mas seus planos foram frustrados por uma mulher local que saiu da fortaleza com dois baldes sobre os ombros para buscar água. Com o objeto que carregava nas costas, a mulher bateu até a morte em 10 inimigos que estavam perto das muralhas estavam examinando o terreno antes do ataque. Depois do ocorrido, os tártaros ouviram os sobreviventes com admiração: se as mulheres nessa cidade eram combatentes tão ferozes, então, o que poderiam esperar de seus homens?

Já no início do século 17, a cidade de Níjni Nôvgorod transformou-se em bastião de resistência à invasão polonesa. Um exército voluntário liderado por Kuzma Minin e pelo príncipe Pojarski marchou através de seus portões, expulsando as tropas polonesas durante o Tempo de Dificuldades e ajudando a manter Moscóvia no mapa.

  1. Ástrakhan, a Torre de Pisa russa

A fortaleza de Ástrakhan foi onde Ivan, o Terrível tomou posse da cidade capturada de Ástrakhan, na costa do mar Cáspio. No século 19, esse kremlin ostentava uma das torres inclinadas da Rússia, o Campanário Varvatsiev. Os fotógrafos locais até começaram a imprimir suas fotos com a inscrição “O campanário inclinado da Catedral de Ástrakhan”. Com o tempo, as considerações de segurança prevaleceram sobre as perspectivas de turismo e, em 1910, a torre foi derrubada e substituída por outra que, embora esteja erguida corretamente, possui uma estrutura menos elegante. 

  1. Moscou, a residência do presidente

Essa lista estaria incompleta sem o kremlin mais famoso de todos, o de Moscou, construído em 1482 para substituir uma fortaleza medieval de tijolos brancos. Sua característica mais proeminente é a Torre Spasskaya, que abriga o icônico relógio.

Atualmente, esse kremlin é a residência do presidente russo. O Sino Real, o Canhão do Tsar Bell, a Torre Taynitskaya (Secreta) e o Palácio do Arsenal são as atrações mais populares entre os turistas que visitam o complexo. O conjunto do Kremlin de Moscou é também Patrimônio Mundial da Unesco.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Leia mais