Lobos da Noite planejam 2ª corrida do Dia da Vitória, entre Moscou e Berlim

Líder de grupo de motoqueiros pró-Kremlin foi incluído em lista de sanções impostas à Rússia

Líder de grupo de motoqueiros pró-Kremlin foi incluído em lista de sanções impostas à Rússia

Reuters
Procissão de motos chegará à capital alemã em 9 de maio, data que marca derrota nazista na Segunda Guerra. Organizadores esperam que, ao contrário do ano passado, autoridades polonesas permitam a passagem de todos os integrantes do grupo.

Os motoqueiros do clube Lobos da Noite estão se programando para realizar uma segunda viagem entre Moscou e Berlim dedicada ao Dia da Vitória, em celebração à derrota da Alemanha nazista pelas tropas soviéticas na Segunda Guerra Mundial.

O pontapé inicial da jornada do Dia da Vitória será dado em 29 de abril. A meta é percorrer os territórios da Rússia, Bielorrússia, Polônia, Eslováquia, Áustria, República Tcheca e Alemanha, com encerramento em Berlim, no dia 9 de maio.

“Depois da nossa batalha bem-sucedida no ano passado, queremos repeti-la este ano também...Pode se tornar, no futuro, uma boa tradição para marcar o Dia da Vitória sobre rodas, ou sobre motos, para ser mais preciso”, diz o presidente do clube, Aleksandr Zaldostanov, também conhecido pelo apelido “Cirurgião”.

Zaldostanov, que não poderá viajar à Europa devido às sanções a ele impostas, disse acreditar que a corrida deste ano será “imensa”.

“Quanto mais os nossos inimigos e pessoas cujo objetivo é reescrever a história e despreza a Vitória [soviética na 2ª Guerra] tentarem nos prejudicar, mais adeptos ganharemos”, destaca Zaldostanov.

Um dia antes da primeira viagem dedicada ao 70º aniversário da Vitória, em 2015, os Lobos da Noite foram advertidos pelas autoridades polacas que estariam proibidos de entrar na Polônia, o primeiro país da rota que pertence ao espaço Schengen.

Quando os Lobos chegaram à fronteira entre a Bielorrússia e a Polônia, os guardas de fronteira poloneses brecaram a passagem de diversos membros.

Outro grupo de motociclistas soube ainda, quando já estavam no território da Alemanha, que o Ministério das Relações Exteriores alemão havia anulado seus vistos. Os integrantes reminiscentes conseguiram chegar a Berlim, apesar das adversidades.

Segundo Andrêi Bobrôvski, que está no comando da corrida este ano, as autoridades polacas estão se mostrando “mais compreensivas” em relação ao evento. “A ideia é cruzar a fronteira em 1º de maio”, diz o motociclista.

Ao longo do percurso, os motoqueiros planejam visitar Khatin, aldeia bielorrussa, a 50 km de Minsk, cuja população foi massacrada por um batalhão nazista; a Fortaleza de Brest, um cemitério de guerra soviético em Wroclaw; um memorial erguido no campo de concentração de Auschwitz; e os monumentos aos soldados soviéticos em Viena e Dresden.

“Em 9 de maio, participaremos de eventos no memorial de guerra soviético do Treptower Park e no Portão de Brandemburgo, junto com funcionários do consulado russo e organizações de veteranos em Berlim”, diz Bobrôvski.

Monumentos soviéticos em perigo

O diplomata russo Serguêi Morozov confirmou à agência Tass que o Ministério das Relações Exteriores da Polônia havia sido oficialmente notificado sobre a corrida do Lobos do Noite, e lamentou o atual movimento para que os monumentos soviéticos em território polonês sejam desmantelados.

“O que está acontecendo na Polônia agora não inspira grande otimismo”, disse Morozov. “Mais de 600 mil soldados soviéticos, o maior número de soldados soviéticos que morreram na Europa, foram mortos na Polônia [durante a Segunda Guerra Mundial]. É mais do que na República Tcheca ou na Alemanha.”

Com material da agência de notícias Tass

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? 
Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.

Leia mais