Cordilheira de Altai, o coração verde da Rússia

Picos, vales e rios formam retratos da natureza intocada pelo homem.

A cordilheira de Altai é a mais alta cadeia de montanhas no sul da Sibéria. Vales profundos e grandes depressões abrem-se entre as montanhas, que se estendem em direção à Ásia Central e atravessam as fronteiras de quatro países: Rússia, Mongólia, China e Cazaquistão.

As áreas montanhosas de Altai, a mais de 3.000 quilômetros de Moscou, figuram, junto com o lago Baikal, como as áreas turísticas mais populares da Sibéria.

Os lagos, bosques e desertos dessa república russa apresentam paisagens variadas a viajantes.

Nas fronteiras com a Mongólia e o Cazaquistão, encontram-se relíquias de antigas religiões xamânicas, pinturas rupestres pré-históricas e campos floridos.

Também é possível praticar canoagem, fazer trilhas, escalada e dormir em “yurts” (cabanas tradicionais).

Não há ferrovias na República de Altai. Portanto, para chegar à cordilheira, é preciso primeiro viajar para, por exemplo, Barnaul, Novosibirsk, ou Biisk, e então, alugar carros ou vãs.

Sua localização remota favorece a preservação da natureza de Altai.

A cordilheira de Altai, considerada por alguns como a “Farmácia Verde” da Terra, é uma das regiões mais limpas – menos poluídas – da Rússia.

Os lagos entre montanhas se mantêm cristalinos, enquanto florestas e vales purificam o ar.

Altai também abriga plantas medicinais.

Reservas naturais abrangem 20% do território da República de Altai. No total, 126 monumentos naturais também estão localizados nessa área.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.

VEJA TAMBÉM: 10 cavernas russas perfeitas para se esconder da humanidade – e fazer turismo!

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies