Por que os soviéticos construíram este edifício do telhado para baixo? (FOTOS)

Museu Estatal Central da História moderna da Rússia; The "At ours, in Leningrad" collection/Soviet writer, 1961; Museu A.V.Schussev de Arquitetura
Talvez esta pareça ser a forma mais ridícula de construir um edifício, mas o processo inusitado teve sua lógica.

No final dos anos 1950 e início dos 1960, a União Soviética tinha um grandioso projeto habitacional em ação. O Estado estava comprometido a fornecer moradia a milhões de trabalhadores em todo o país no menor tempo possível.

Uma tarefa grandiosa como essa exigia soluções fora do padrão - uma maneira nova e mais eficiente de construir edifícios. Como um experimento, engenheiros em Leningrado (atual São Petersburgo) tentaram construir um exemplar dos “khhruschóvki”, prédios de 3 a 5 andares e de apartamentos pequenos, começando com o telhado e depois de cima a baixo.

Apesar da técnica inusitada, essa maneira de construir edifícios tinha, de fato, alguma lógica. Dada a enorme escala da construção na URSS na época e os prazos apertados, os engenheiros imaginaram que erguer edifícios sem o uso de guindastes de construção - uma ferramenta limitada e que também exigia tempo extra para ser instalada no canteiro de obras - permitiria aumentar a escala e, ao mesmo tempo, reduzir o tempo de construção.

Em 1959, o experimento começou em Leningrado. No início, os construtores ergueram dez pilares. Em seguida, construíram um telhado de 150 toneladas no topo dos pilares usando macacos hidráulicos industriais.

Na etapa seguinte, os trabalhadores construíram o quarto (e também o mais alto) andar do prédio no térreo e o ergueram até o topo, usando os mesmos macacos hidráulicos.

A construção do terceiro, segundo e primeiro andares do edifício decorreram da mesma forma inusitada, de cima para baixo.

Após a conclusão das obras, um helicóptero Mi-4 realizou o trabalho de remoção dos macacos hidráulicos do telhado.

Não se sabe se o processo de construção que exigia o uso de um helicóptero era mais eficiente do que o padrão, usando guindastes, mas a nova maneira não pegou por um motivo diferente.

A inspeção dos poucos apartamentos construídos desta forma revelou um nível inaceitável de contração e rachaduras significativas nas paredes. Comparadas aos mesmos “khhruschóvki” construídos da maneira convencional, esses imóveis pareciam inferiores. O projeto foi abandonado logo após ter começado.

Apesar das rachaduras, algumas dessas casas ainda estão intactas em São Petersburgo. Esta é uma delas. Parece um “khhruschóvki” normal e é quase impossível distingui-lo dos demais prédios da vizinhança. Mas existem algumas diferenças críticas que o distinguem.

Em contraste com os  “khhruschóvki” tradicionais, este edifício tem apenas uma entrada em vez das duas habituais. No interior, há uma escadaria sem janelas que atravessa todo o edifício, o que parece incomum em comparação com o padrão em edifícios convencionais da mesma época.

Ao lado do antigo edifício há um novo conjunto habitacional, construído após a queda da URSS. Embora pareça um formigueiro, é considerado uma residência mais favorável do que um apartamento dentro do antigo  “khhruschóvki” construído de cima a baixo em 1959.

LEIA TAMBÉM: “Cérebros de ouro”: 7 curiosidades bizarras sobre o edifício da Academia Russa de Ciências

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies