Piotr Chilovski, o conde russo que inventou um incrível veículo de duas rodas

'Girocarro Chilovski' em Londres

'Girocarro Chilovski' em Londres

Domínio público
Talvez seja a primeira vez que você ouve falar deste veículo, mas um girocarro é um carro de duas rodas. E não, não é outro nome para motocicleta. A diferença entre uma moto e um girocarro é que na primeira o equilíbrio dinâmico vem do motociclista, enquanto neste curioso veículo o equilíbrio é fornecido por um ou mais giroscópios.

O princípio usado era semelhante ao dos modernos Segways - sistema que atualmente também é utilizado em navios e aviões, entre muitas outras aplicações, como conta Oscar Magro, especialista no mundo automotivo e editor do site  motor.es.

Da ficção à realidade

O primeiro conceito de girocarro foi originalmente descrito no romance de ficção de 1911 'Dois Jovens em um Girocarro: A História da Corrida de Nova York a Paris', escrito por Kenneth Brown.

No entanto, o primeiro protótipo real de girocarro foi o do 'Girocarro Chilovski', encomendado em 1912 por seu projetista, o conde russo Piotr Chilovski, advogado e membro da família real russa. Embora tenha sido idealizado por este aristocrata, foi fabricado pela Wolseley Tool and Motor Car Company em 1914 e exibido em Londres no mesmo ano.

Piotr Chilovski, o inventor do girocarro

E como funcionava?

O girocarro de design russo era movido por um motor Wolseley-Vickers de quatro cilindros e 3,1 litros com potência de 20 cavalos aplicada à roda traseira. 

Mais de 10% dessa energia era usada para alimentar o dínamo e o motor elétrico, que mantinham rodando um enorme giroscópio, de 102 centímetros de diâmetro e 1,2 tonelada, a uma velocidade de 2.000 a 3.000 rpm (rotações por minuto).

Girocarro pronto para sua primeira volta

Se a velocidade de giro caísse abaixo dessa velocidade, o carro poderia ficar instável. Mas Chilovski inventou um método para evitar acidentes. Quando a rotação do giroscópio caísse abaixo do limite mínimo, duas pequenas rodas laterais baixavam automaticamente para dar apoio ao veículo, como as famosas rodinhas de bicicletas usadas para crianças.

E como é que não está nas ruas?

Embora tudo parecesse estar indo de vento em popa, o projeto do girocarro foi interrompido no verão de 1914 devido à eclosão da Primeira Guerra Mundial. Como a maioria dos fabricantes de automóveis, a Wolseley concentrou toda a sua produção na fabricação de máquinas de guerra. O conde Chilovski, por sua vez, retornou à Rússia com urgência. Ele acabou emigrando para o Reino Unido em 1922, onde morreu em 1957 sem ter percorrido as estradas da Europa com seu sonhado veículo.

LEIA TAMBÉM: 5 fatos sobre Argo, o monstro-anfíbio soviético de 8 rodas

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies