Leningrado dos anos 1970, uma cidade que não existe mais (FOTOS)

Desde então, o local de nascimento da Revolução Russa voltou para seu nome original, São Petersburgo, e também perdeu muitos elementos capturados na época pelo fotógrafo Igor Kravtchenko.

Os famosos pátios circulares da cidade, é claro, ainda estão lá. Mas adentrá-los agora não é mais tão fácil; vários estão trancados, com acesso apenas para moradores.

Pelo mesmo motivo, não é mais possível atravessar as passagens em arco da maioria dos pátios. Quanto aos carros retratados na foto, podem ser provavelmente encontrados em um clube de automóveis antigos, mas não nas ruas atualmente.

Após a década de 1970, os bondes deixaram de circular pela Ponte da Trindade por muito tempo. No entanto, recentemente, o percurso foi restaurado e agora tem até um bonde retrô “museu” circulando sobre os trilhos.

Esta é a vista panorâmica de um meio de transporte ainda mais antigo cruzando a Ponte de Berlim sobre o rio Fontanka.

Bondes como este desapareceram para sempre.

Os cavalos foram substituídos por Uber.

Hoje em dia, o trânsito perto da Catedral de Santo Isaac é tão intenso que dar um passeio como o homem da foto é algo fora de realidade.

 

 

 

 

Essas margens ao longo do rio Moika, não muito distante da Catedral de Santo Isaac, agora estão lotadas de carros.

Você não mais verá veículos antigos como esses na rua Pestel. E a moda que seguem os moradores de São Petersburgo hoje é bem diferente.

E nunca mais terá a chance de observar a Nevsky Prospekt assim deserta, nem mesmo à noite.

Encontrar uma viela colorida como este, com paralelepípedos e uma padaria soviética na esquina, seria um desafio na cidade de hoje.

LEIA TAMBÉM: Por que São Petersburgo é considerada a capital cultural da Rússia?

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies