Fotos expõem realidade em Moscou logo após a queda da URSS; confira

Robert Stephenson/Glagoslav Publications
Em livro recém-lançado, especialista britânico em TI que trabalhou na Rússia durante o início da década de 1990 documenta a ascensão do então novo Estado capitalista.

Muitos estrangeiros sentem-se impelidos a escrever um livro depois de passear pela Rússia: quebrar estereótipos sobre ursos andando pelas ruas se tornou o emblema de honra do viajante intrépido.

O britânico Robert Stephenson, que testemunhou o nascimento da nova Rússia com os próprios olhos, sentiu que era seu dever documentar a Moscou do início dos anos 1990.  Seu livro de fotos e memórias, “We Are Building Capitalism. Moscow in Transition 1992-1997” (Nós estamos construindo o capitalismo. Moscou em transição 1992-1997, em tradução livre), foi publicado em março pela Glagoslav Publications.

Logo após a queda do Estado soviético, Stephenson recebeu uma oferta de emprego em uma organização de apoio técnico para o Serviço Federal de Emprego da Rússia. Ao longo de cinco anos, Stephenson viveu a perestroika e presenciou em primeira mão como as mudanças políticas e econômicas no país afetaram a vida das pessoas.

“No início dos anos 1990, depois de 75 anos no caminho do comunismo, a Rússia mudou de direção e começou – com o mesmo fervor e sua forma única de sempre – a construir o capitalismo”, escreve Stephenson.

No livro, o autor explica como a Igreja Ortodoxa Russa renasceu das cinzas, o que aconteceu com o legado da URSS e por que os monumentos soviéticos foram demolidos, enquanto novos marcos, muitas vezes controversos, foram erguidos, como a estátua de Pedro, o Grande na margem do rio Moscou.

Aqui estão algumas fotos do livro acompanhadas de legendas do autor:

1. Grafite em uma cerca perto da Casa Branca de Moscou, 1992 

2. Especialistas internacionais trabalhando na sede do novo Serviço Federal de Emprego, em 1992.Sobre eles, o olhar atento do fundador da União Soviética e o slogan: “O nome e os feitos de V.I.Lênin viverão para sempre”

3. Mercado ao ar livre no estádio do parque Izmailovski, março de 1992

4. Estátuas de figuras soviéticas foram removidas de sua localização na cidade após o golpe de 1991 e transferidas para o terreno da Casa Central dos Artistas, abril de 1992

5. Reconstrução da Catedral de Cristo Salvador, 1995

6. Músicos de rua na Arbat, início dos anos 90

7. Venda de mercadorias na rua em frente ao Teatro Bolshoi, março de 1992 

8. Em uma cena que lembra um filme “ocidental”, um oficial solitário da GAI (polícia de trânsito) nos entornos do Teatro Bolshoi, 1993

9. Show de rock na Casa Branca (de Moscou) em 19 de agosto de 1992, para celebrar o primeiro aniversário do fracassado golpe

10. Autor com figuras em tamanho natural dos presidentes Gorbatchov e Iéltsin, na Praça Púchkin, em Moscou, 1992

11. Fábrica de chocolate “Outubro Vermelho”, 1992. Situada na margem do rio Moscou, a fábrica foi privatizada em 1993 e fechada em 2007. Nessa época, a vista pacífica e livre já estava repleta de novos marcos, incluindo uma enorme (e detestada) estátua de Pedro o Grande e a Catedral de Cristo Salvador.

12. Veteranos dos conflitos no Afeganistão e na Tchetchênia coletando donativos na estação de metrô “Ulitsa 1905”, 1994

13. Estádio Lujniki, registrado a partir da Colina das Andorinhas, 1992 e 1997

14. Imponente edifício do demolido Hotel Rossiya dominava a fileira de igrejas na rua Varvarka, levando à Praça Vermelha, 1993

15. Muitos carros antigos das décadas de 1950, 60 e 70 ainda eram mantidos e usados no início dos anos 1990

VEJA TAMBÉM: Os 3 principais fatores para a queda da URSS 

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies