7 canhotos russos fora de série!

AFP7/Global Look Press
Escritores, atletas e cientistas simplesmente geniais... Se você é canhoto, põe o dedo aqui!

Existe uma crença generalizada de que é o desenvolvimento mais ativo do lado direito do cérebro, que seria o "responsável pela criatividade", em contraste com o lado esquerdo, mais "lógico", que tornaria uma pessoa canhota.

Mas a teoria não tem sentido, já que não se sabe exatamente em que grau ambos os lados do cérebro participam do funcionamento da psiquê humana. É tão obscura quanto essa teoria a conexão entre uma pessoa ser destra ou canhota e os lados do cérebro, e a hipótese de um canhoto ser mais genial que um destro e vice-versa.

Entre 8% e 15% da população mundial são canhotos. O “esquerdo”, em muitas culturas, é, por definição, algo impuro: em latim, “sinister” ("esquerdo") também significa "errado" ou "mau"; em russo, "liévi" significa algo de baixa qualidade; no inglês antigo "left, lyft" significava "fraco, desajeitado, estúpido". E o que dizer do francês “gauche”, que ganhou até poema de Drummond, já em português: “Vai, Carlos, ser gauche na vida”?

Dar a mão esquerda para saudar alguém era e é considerado um gesto no mínimo estranho e, em alguns lugares, um insulto. Na Rússia, a atitude para com os canhotos era a mesma de outras culturas. Pedro, o Grande, por exemplo, proibiu os canhotos de testemunharem em tribunal: o tsar claramente compartilhava da opinião geral russa de que o próprio diabo controlava os canhotos.

Os canhotos continuaram sua saga como “gauches” no século 20: na URSS, como no resto do mundo, ainda se acreditava que isso fosse uma anomalia.

"Naquela época, era considerado vergonhoso. Levei uma nota 2 em caligrafia, porque não podia escrever com a mão esquerda, só com a direita, mesmo sendo canhoto. O professor me bateu com a régua, para eu usar a caneta do ‘jeito certo’”, lembra o ator Víktor Sukhorukov.

Foi só na segunda metade do século 20 que o mundo parou de tentar consertar os canhotos. Agora, eles passaram a se encaixar nas atividades gerais, um pouco adaptadas, por vezes, para elas - principalmente porque não há nada demais em fazer essas adaptações. Mas os canhotos não querem ser apenas como os outros: entre eles, há celebridades fora da curva!

1. Lev Tolstói

O grande escritor russo Lev Tolstói (1828-1910) era ambidestro, ou seja, dominava muito bemas duas mãos. Não há evidências de que Tolstói tenha sido ensinado a usar alguma mão em especial na infância; por outro lado, há muitas evidências de que o escritor poderia escrever sem problemas, tanto à esquerda quanto à direita.

Os tabloides nos dias de Tolstói brincavam que as habilidades com a mão esquerda eram a razão da extraordinária inventividade do escritor: quando um romancista comum se cansa de segurar uma caneta, Tolstói simplesmente pegava a caneta com a outra mão e continuava na labuta.

Não existe qualquer retrato de Tolstói com uma caneta na mão esquerda - aparentemente, ele escrevia quase sempre com a direita. Mas, à mesa do jantar, segundo muitas memórias, o escritor usava principalmente a mão esquerda.

2. Maria Sharapova

A famosa tenista Maria Sharapova nasceu em 1987, canhota, e começou sua carreira no tênis com a raquete na mão esquerda. Era assim que ela se apresentava em competições juniores. Mas entre os 10 e os 12 anos de idade, ela mudou para a mão direita.

“Sou canhota por natureza. Faço muitas coisas como uma canhota. Escrevo com a mão direita, mas jogo e chuto algo com a mão ou o pé esquerda”, diz Maria. Ela também é considerada ambidestra.

3. Garry Kasparov

Se os canhotos são mesmo mais brilhantes em profissões criativas, como explicar que o gênio do xadrez Garry Kasparov também seja parte do time? Desde a infância, ele demonstrava excelentes habilidades em matemática e xadrez e, aos 22 anos de idade, tornou-se o mais jovem campeão mundial na história desse esporte. Kasparov sempre se distinguiu por seu temperamento forte e ficou famoso por suas decisões paradoxais - tanto no xadrez, quanto na vida.

4. Serguêi Rachmaninov

É possível uma pianista canhoto? Afinal, parece que toda a escola de piano é feita para pessoas destras. No entanto, o violão também é um instrumento, em geral, para destros - mas grandes guitarristas como Jimi Hendrix ou Kurt Cobain trocaram as cordas e tocavam guitarras adaptadas para canhotos.

O pianista Serguêi Rachmaninov (1873-1943) também era canhoto, e era conhecido por sua excelente técnica e elasticidade: com sua mão enorme, ele cobria 12 teclas brancas piano (quase o comprimento de uma folha A4!).

Na vida, Rachmaninoff era uma pessoa pedante e desconfiada. Ele amava muito a ordem e realmente sofria se tivesse que mudar planos. Ele também era notável por sua atenção e incrível memória musical. Rachmaninoff conseguia se lembrar de longas obras sinfônicas e repetir suas notas depois de escutar apenas algumas vezes.

5. Maia Plisetskaia

A grande bailarina Maia Plisetskaia (1925-2015) era canhota, mas obviamente sofria tentando se reeducar: ela fazia tarefas domésticas com a mão esquerda, mas escrevia apenas com a direita.

Além de sua posição como uma estrela do mundo da dança, Plisetskaia era conhecida entre seus colegas por seu caráter categórico. “Não se submeta; até o final, não se submeta. Até os regimes totalitários recuaram diante da obsessão, da convicção, da perseverança. Minhas vitórias basearam-se apenas nisso. O caráter é o destino”, escreveu Plisetskaya em sua autobiografia.

6. Nikolai Leskóv

O escritor russo Nikolai Leskov (1831-1895), criou uma das poucas obras dedicadas especialmente ao canhoto, o " O canhoto vesgo de Tula e a pulga de aço". Ele próprio era canhoto, escrevia e comia com a mão esquerda. Seu conto, publicado em 1881, ficou tão famoso que, a partir de então, em russo, "levsha" (canhoto) virou sinônimo de artesão nato e "ferrar uma pulga" (que é o que o protagonista faz no conto), uma expressão que significa fazer algo incrivelmente desafiador.

7. Ivan Pavlov

O grande fisiologista Ivan Pavlov (1849-1936) percebeu, quando ainda era criança, que ele, canhoto, podia fazer coisas tão bem com a mão esquerda, como com a direita. Pavlov era grande fã de um antigo jogo russo chamado “gorodki”, um jogo russo antigo que é uma espécie de mistura de beisebol com boliche.

"Durante o jogo, ocorre uma coordenação complexa dos movimentos musculares, que, por sua vez, tem um efeito benéfico sobre todas as outras funções do corpo", escreveu o fisiologista. No jogo, Pavlov usava ambas as mãos. Ele usou a mão direita por toda a vida, mas conseguiu desenvolver a capacidade de realizar bem operações, tanto com a direita, como com a esquerda, como se vê na foto abaixo.

LEIA TAMBÉM: Do homem que encontrou água em Marte à dupla que descobriu grafeno, conheça os gênios russos de hoje

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies