Russo que decifrou o código maia ganhará monumento no México

TASS
Estátua de antropólogo russo Iúri Knórozov será inaugurada em 11 de março em Mérida, a capital do estado de Iucatã.

Um monumento a Iúri Knórozov será inaugurado durante a Feira Internacional do Livro FILEY-2018, que acontecerá na cidade de Mérida (Iucatã) entre os dias 10 e 18 de março. A informação foi divulgada pela agência de notícias russa RIA.

A Rússia, que será convidada especial no evento, terá seu próprio pavilhão. “Para a Rússia, esse convite é uma honra e também um reconhecimento da contribuição dos cientistas soviéticos, em particular, do famoso antropólogo Iúri Knórozov, para o desenvolvimento da ciência universal que estuda a cultura maia”, disse a jornalistas o embaixador russo no México, Eduard Malayán, citado pela agência RIA.

O diplomata destacou que, em seu pavilhão, a Rússia não se limitará a mostrar as realizações dos anos 1950 e 60, mas também irá expor o trabalho atual dos discípulos de Knórozov no Centro Mesoamericano da Estatal Russa de Humanidades.

O antropólogo russo dedicou sua vida profissional à cultura maia e conseguiu decifrar as antigas escrituras sem ter estado no país norte-americano antes. Knórozov iniciou seu trabalho estudando os códigos maia pelos livros “Relação das Coisas de Iucatã”, de Diego de Landa, e a edição de 1933 de “Os códigos maias”, dos irmãos Villacorta.

Segundo o cientistas, ele não “fez nada mais do que seguir Landa” ao verificar que os 355 símbolos dos códigos correspondiam à escrita fonética, morfêmica e silábica.

Knórozov viajou para a América Central pela primeira vez em 1990. Por seu trabalho na investigação da cultura maia, o cientista recebeu a Ordem de Quetzal (1990), a mais alta condecoração da Guatemala, e Ordem da Águia Asteca (1994), no México. O acadêmico morreu em 1999 em decorrência de um acidente vascular cerebral.

Leia aqui detalhes sobre como Knórozov conseguiu decifrar a escrita maia.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? 
Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies