Por que está tocando Tchaikóvski, e não o hino russo, nas Olimpíadas de Tóquio?

Russas Lilia Akhaimova, Victoria Listunova, Angelina Melnikova and Vladislava Urazova (da esquerda. à dir.) quebraram a sequência de dois ouros da equipe norte-americana em Olimpíadas e garantiram a vitória em Tóquio.

Russas Lilia Akhaimova, Victoria Listunova, Angelina Melnikova and Vladislava Urazova (da esquerda. à dir.) quebraram a sequência de dois ouros da equipe norte-americana em Olimpíadas e garantiram a vitória em Tóquio.

Aleksêi Filíppov/Sputnik
Atletas russos que estão subindo ao pódio dos Jogos Olímpicos vêm sendo acompanhados por música clássica na cerimônia de premiação. 

Devido ao escândalo de doping de 2015, os atletas russos não estão autorizados a representar a Rússia nas Olimpíadas de Tóquio – o que inclui não tocar o hino russo nem carregar a bandeira nacional. Como alternativa, os atletas do país estão atuando sob a bandeira do ROC, o Comitê Olímpico Russo (clique aqui para saber sobre essa história).

Os espectadores dos Jogos Olímpicos de Verão em Tóquio devem ter notado, portanto, que outra música vem tocando enquanto os medalhistas olímpicos da Rússia sobem ao pódio. A canção é o Concerto para Piano nº 1 em Si bemol menor, composto em 1874 e 1875 por Piotr Tchaikóvski, provavelmente o mais renomado e mundialmente reconhecido compositor russo.

Este concerto foi executado originalmente em Boston, no ano de 1875, pelo solista Hans von Bülow, com uma orquestra dirigida por Benjamin Johnson Lang.

O fragmento e a adaptação da melodia usada nas Olimpíadas do Japão foram preparados pelo pianista contemporâneo mais famoso da Rússia, Denis Matsuev.

A música foi oficialmente aprovada pelo Comitê Olímpico Internacional (COI), embora, a princípio, o Comitê Olímpico Russo tenha sugerido outra melodia. Sua proposta inicial foi a soviética Katiucha, uma canção patriótica que se tornou famosa durante a Segunda Guerra Mundial e é considerada o hino não oficial da Grande Guerra Patriótica.

No entanto, o COI não aprovou a melodia, considerando sua forte associação com a Rússia. Foi então que, como uma alternativa mais neutra, o ROC sugeriu Tchaikóvski, cujo 180º aniversário de nascimento foi celebrado em 2020.

Cabe lembrar ainda que os atletas russos estão atuando sob uma bandeira neutra pelo segundo ano consecutivo. Portanto, esta não é a primeira competição internacional que a música é utilizada. O Concerto para Piano nº 1 já foi tocado nas cerimônias de premiação dos campeonatos mundiais de patinação de velocidade, patinação artística e hóquei.

LEIA TAMBÉM: Piotr Tchaikóvski, o garoto da roça que se tornou o compositor mais famoso da Rússia

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies