Anvisa dará novo parecer sobre importação da Sputnik V nesta sexta-feira (4)

Reuters
Diretoria da agência fará reunião extraordinária para analisar os pedidos de importação e uso emergencial das vacinas Covaxin e Sputnik V. Evento será transmitido ao vivo pela internet.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) dará um novo parecer sobre a autorização da importação e do uso emergencial da vacina russa contra coronavírus Sputnik V na próxima sexta-feira (4), informou a assessoria de imprensa do órgão.

“A Diretoria Colegiada da Anvisa irá realizar, na próxima sexta-feira (4/6), uma reunião pública extraordinária. Os diretores irão analisar os pedidos de autorização excepcional e temporária para importação e distribuição das vacinas Covaxin e Sputnik V”, diz a nota. 

A sessão será transmitida ao vivo, a partir das 10h,  pelo canal oficial da Anvisa no YouTube.

Em 26 de março passado, a agência proibiu a importação e uso do imunizante russo no Brasil, alegando ausência de dados. 

Os documentos que faltavam foram enviados pelos estados do Maranhão e Bahia no último dia 22 de maio. A documentação adicional está sendo considerada como parte do pedido de importação da vacina russa pelos estados do Nordeste.

Segundo o presidente do Consórcio Nordeste e governador do Piauí, Wellington Diaz, os novos documentos comprovam que a Sputnik V preenche todos os requisitos internacionais de segurança, eficácia na imunização e qualidade, confirmados também por cientistas brasileiros. "Esperamos que o órgão de vigilância sanitária brasileiro cumpra a Lei 14.124/21, que autoriza a importação excepcional de imunizantes já aprovados em outros países e dê seu parecer favorável para o uso da vacina Sputnik V no Brasil”, declarou. 

Até o momento, a vacina russa já foi registrada para uso emergencial em 66 países, com uma população total de mais de 3,2 bilhões de pessoas.

LEIA TAMBÉM: Rússia não deve impor vacinação obrigatória contra covid-19

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies