São Petersburgo ganhará o segundo arranha-céu mais alto do mundo (FOTOS)

Gazprom
Gigante energética Gazprom acaba de lançar o conceito arquitetônico de outra torre, chamada ‘Lakhta-2’. Empreendimento será 125 metros mais baixo que o Burj Khalifa, em Dubai.

A Gazprom anunciou esta semana o plano ambicioso de construir o segundo edifício mais alto do mundo. O arranha-céu de 703 metros de altura, apelidado de ‘Lakhta-2’, será apenas um pouco menor do que o Burj Khalifa (828 metros em Dubai. O novo prédio terá, porém, o mirante mais alto do mundo - a uma altura de 590 metros - e quebrará o recorde de andar operacional mais alto. Além disso, segundo os projetistas, 703 não é um número acidental, ele se refere ao ano de 1703, quando Pedro, o Grande, fundou São Petersburgo.

Cabe lembrar que a Gazprom concluiu recentemente o arranha-céu "Lakhta", de 462 metros, também em São Petersburgo, e o prédio já está sendo colocado em operação.

O ‘Lakhta-2’ ficará situado não muito longe do primeiro, formando um aglomerado de gás denominado ‘Lakhta Center’ e que poderá ser visto até mesmo do centro histórico da cidade.

"O novo edifício incorpora uma grande ideia inspirada pela energia em todas as suas formas, desde ondas de energia em espiral geradas em torno de um quasar nas profundezas do espaço até a energia das ondas em espiral na água", explica o arquiteto britânico Tony Kettle, responsável pelo projeto, acrescentando que o haverá "harmonia com o  "Lakhta".

Os moradores da cidade que criticaram o primeiro edifício não parecem tão surpresos com o segundo. Alguns brincaram na internet que o novo design lembra um pingente de gelo gigante (a ironia é que os pingentes de gelo costumam ser um grande problema na cidade durante o inverno). Outros dizem parecer com a torre de Isengard de "Senhor dos Anéis".

LEIA TAMBÉM: 7 curiosidades sobre o Moscow City, centro empresarial mais badalado da capital russa

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies