Embaixador é o primeiro voluntário a testar EpiVacCorona, a 2ª vacina russa, na Venezuela

Embaixada da Rússia na Venezuela
Diplomata russo Serguêi Mélik-Bagdasárov se tornou a primeira pessoa na Venezuela a receber imunizante, como parte de testes.

O embaixador russo na Venezuela, Serguêi Mélik-Bagdasárov, se tornou o primeiro voluntário a participar dos testes da vacina russa EpiVacCorona na República Bolivariana, segundo a agência TASS.

“É uma grande alegria e honra para mim, como embaixador da Rússia e cidadão de minha terra natal, participar dos ensaios dos parceiros venezuelanos da nova vacina nacional [russa]contra o coronavírus EpiVacCorona. Tenho certeza que depois de passar todos os trâmites necessários na Venezuela, esse imunizante russo será registrado aqui, como foi com a Sputnik V”, disse o diplomata, lembrando que o fabricante da vacina, a russa Geropharm, é um fornecedor de insulina para a Venezuela.

A vacinação ocorreu na presença da vice-presidente da Venezuela, Delcy Rodríguez, e do Ministro da Saúde local, Carlos Alvarado.

“O acontecimento de hoje é uma prova viva do mais alto nível de confiança e das perspectivas promissoras de cooperação entre nossos países”, acrescentou o embaixador russo.

A vacina EpiVacCorona, desenvolvida pelo Centro Científico Estatal de Virologia e Biotecnologia Vetorial, foi entregue ao país latino-americano no final de março, durante visita do vice-primeiro-ministro russo Iúri Boríssov a Caracas. A Venezuela foi o primeiro país da América Latina a registrar a vacina russa Sputnik V e iniciar os testes com a EpiVacCorona. 

LEIA TAMBÉM: Itamaraty e Ministério da Saúde divulgam nota em apoio a diálogo sobre vacina Sputnik V

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies