Rússia inicia produção da primeira vacina do mundo contra coronavírus para animais

Pixabay
Medicamento tem eficácia comprovada e já inicia-se sua circulação.

A Rússia iniciou a produção em massa da primeira vacina do mundo para animais contra covid-19. Ela foi desenvolvida por cientistas do Rosselkhoznadzor (Serviço Federal de Vigilância Veterinária e Fitossanitária)

“O primeiro lote da Carnivak-Cov [vacina contra o coronavírus para animais carnívoros], com 17 mil doses, foi produzido no Centro Federal de Saúde Animal”, anunciou a assessora do diretor do Rosselkhoznadzor, Iúlia Melano.

Segundo ela, a vacina, que demonstrou 100% de eficácia em testes, estará disponível nas grandes cidades russas, como Moscou, São Petersburgo, Vladímir, Kirov, Novossibírsk, Riazán, Tcheliábinsk, Tver e outras. O período de preservação da imunidade após a vacinação é estimado em seis meses.

Segundo Melano, hoje as instalações de produção permitem produzir cerca de dez mil doses da vacina por dia, mas a agência pretende aumentar esse número para cinco milhões de doses por mês em um futuro próximo.

Anteriormente, o vice-diretor da agência, Konstantín Savenkov, havia declarado que a vacina é segura e tem forte efeito imunogênico, pois os animais vacinados desenvolveram anticorpos contra o novo coronavírus em 100% dos casos.

De acordo com cientistas russos, o uso da vacina poderá prevenir novas mutações do vírus, que costumam ocorrer durante a transmissão interespecífica do patógeno.

Até o momento, não há dados científicos que evidenciem a transmissão do novo coronavírus de animais para humanos.

A Organização Mundial de Saúde confirmou a possibilidade de transmissão do vírus a cães e felinos (leões, tigres e gatos), apesar de ressaltar que “essas infecções não são causadoras da pandemia de coronavírus. A pandemia se deve à transmissão de pessoa para pessoa”.

LEIA TAMBÉM: Filhote de urso polar é resgatado por garimpeiros de ouro no Ártico

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies