Rejeitados pela mãe, dois filhotes de urso polar são adotados por equipe de zoológico

Pixabay
Acontecimento é raro; na história, menos de 20 filhotes da espécie foram criados por humanos sem ajuda da mãe.

Dois filhotes de urso polar, um macho e uma fêmea, nasceram no início de dezembro no Zoológico de Guelendjik, um balneário nas margens do Mar Negro. Mas, rejeitados pela mãe, foram adotados pelos funcionários do estabelecimento, segundo notícia do Siberian Times.

“Infelizmente, Seriojka, a mãe, não mostrou sinais de instinto materno”, explicou Elena Milovidova, vice-diretora do zoológico. “Tivemos que levar os filhotes embora e seis de nós, inclusive eu, estamos fazendo o papel de mães dos pequeninos, constantemente de olho neles para ter certeza de que estão aquecidos e tomaram leite suficiente”, acrescentou.

Este é também um acontecimento importante para a comunidade zoológica, pela sua raridade e como foi gerido. “Não é apenas uma experiência única para nós, mas também um evento interessante para o resto do mundo, visto que, nos últimos 50 anos, foram criados menos de 20 filhotes polares [com sucesso] em cativeiro sem a ajuda da mãe. Uma estatística que não se compara com a de qualquer outro animal selvagem, como elefantes ou orangotangos.”

Fato é que alimentar um urso polar é quase impossível, e nem mesmo a presença do pai pode contribuir, já que, na natureza, ele não exerce papel na criação dos filhotes.

Entre as medidas tomadas pela equipe, está a administração de soro aos filhotes, para garantir que tenham um primeiro estímulo imunológico (geralmente fornecido pelo leite materno). Mas os esforços que parecem dar os primeiros resultados: os dois filhotes, ainda sem nome, abriram os olhos recentemente, e as suas mães humanas adotivas foram reduzidas a quatro, já que, felizmente, os pequenos ursos polares não correm mais risco de morte.

LEIA TAMBÉM: Como os russos lidam com ursos supercuriosos (ou simplesmente famintos)

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies