Surfistas irlandeses descobrem cápsula do tempo russa vinda do Ártico

Rompehielos nuclear ruso ‘50 Let Pobedi’

Rompehielos nuclear ruso ‘50 Let Pobedi’

Christopher Michel/Visual Hunt
Apesar de fato inusitado, achado acabou evidenciando rapidez do derretimento de gelo no hemisfério Norte.

Os surfistas Sophie Curran e Conor Mclory ficaram surpresos ao descobrir um estranho objeto com inscrições russas em uma praia no Condado de Donegal, ao norte da Ilha Esmeralda, na Irlanda, segundo informações do Irish Post.

Com receio de ser uma bomba antiga, os irlandeses enviaram uma foto do objeto para um amigo russo, que traduziu a inscrição: “cápsula do tempo”. Ao abri-la, ele se depararam com diversas fotografias, cartas, menus e diários deixados pela tripulação do lendário navio quebra-gelo nuclear russo ‘50 Let Pobedi’.

Uma carta, escrita em inglês, incluía os contatos de uma pessoa chamada Sveta (abreviatura para Svetlana). Sophie e Conor entraram então em contato com a mulher, que administra um perfil no Instagram. Quando informada, Svetlana disse ter ficado “chocada” com a rapidez com que a cápsula foi encontrada.

Embora alguns dos documentos mantidos no contêiner lacrado datem de uma expedição polar na década de 1990, a cápsula foi colocada em um bloco de gelo no Polo Norte apenas em 2018.

A descoberta, somente dois anos depois e a mais de 4.000 quilômetros de distância, destaca o estado preocupante do gelo ártico e a velocidade com que está derretendo.

“A equipe achou que a cápsula seria encontrada em 30 ou 50 anos, eles pensavam que levaria mais tempo para o gelo derreter”, disse Sophie.

A irlandesa afirmou que, depois de os documentos serem traduzidos, os objetos seriam levados a um museu e a um bar, mas que guardaria alguns porta-copos como recordação. Também está previsto um encontro com Svetlana na Irlanda.

LEIA TAMBÉM: 5 mensagens de uma cápsula do tempo soviética de 1967

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies