Estes navios soviéticos quebraram toneladas de gelo… e um monte de recordes; veja fotos

A União Soviética foi o único país que construiu navios quebra-gelo movidos a energia nuclear, já que precisava de um modo de alcançar os territórios ao longo da rota do Mar do Norte. Descubra aqui as embarcações que são verdadeiros monstros oceânicos!

Lênin

Este quebra-gelo foi a primeira embarcação movida a energia nuclear do mundo. Construído em 1957, ele começou a navegar dois anos depois. Ele também foi o primeiro navio a ir para além do arquipélago russo Sévernaia Zemliá, em 1971.

A União Soviética tinha muito orgulho desta embarcação, por isso, durante sua construção, exibiu o navio para diversos políticos de alto escalão, como o premiê britânico Harold Macmillan e o vice-presidente americano Richard Nixon.

O quebra-gelo foi utilizado por 30 anos e abriu caminho pelas águas ao longo da costa norte da Rússia para inúmeros navios. Seu motor nuclear provou ser muito eficiente.

O “Lênin” acabou transformado em museu, o que permite que seus visitantes tenham um gostinho de como era navegar nesta icônica embarcação.

Arktika (Ártico)

Sucessora da “Lênin”, a “Arktika,”, tornou-se a primeira embarcação de superfície a alcançar o Polo Norte, em 1977. Este também foi o primeiro navio a passar mais de um ano no mar sem atracar em nenhum porto, no ano 2000.

Durante seus anos em serviço, entre 1975 e 2008, o “Arktika” cobriu mais de 1,6 milhão de quilômetros, cinco vezes a distância da Terra à Lua, e tinha capacidade para quebrar blocos de gelo com cinco metros de espessura.

Por muitos anos, o navio teve outro nome: em 1982, após a morte do líder soviético Leonid Brejnev, a embarcação foi rebatizada em sua homenagem. Mas, em 1986, seu nome voltou a ser “Arktika.”

Sibir (Sibéria)

O “Arktika” fez tanto sucesso que toda uma nova classe de embarcações foi construída com base neste navio. A primeira delas foi a “Sibir”, que entrou em operação em 1977 e, em dez anos, tornou-se o segundo navio de superfície a alcançar o Polo Norte. O navio encerrou suas atividades em 1993.

Rossiya (Rússia)

Esta embarcação foi equipada com um motor extremamente poderoso, de 75 mil cavalos. O modelo era parecido com o quebra-gelo “Arktika” e foi o primeiro navio a fazer um cruzeiro turístico para o Polo Norte, em 1990, destinado a turistas estrangeiros.

Atualmente, até cinco viagens ao Polo Norte são feitas anualmente no navio, com duração de cerca de 15 dias e custo por volta de US$ 25 mil (R$ 102 mil).

Sovetski Soiuz (União Soviética)

Esta embarcação nuclear foi inaugurada em 1990, mas o país que inspirou seu nome foi dissolvido apenas um ano depois. Como resultado, o navio iniciou suas atividades na nova Rússia.

O quebrador de gelo foi desenhado para ser facilmente transformado em uma embarcação militar, mas não havia necessidade para isso.  Recentemente houve rumores de que o quebra-gelo poderia se tornar um navio de comando para unidades militares russas no Ártico, mas isto também não aconteceu.

Na década de 1990, o quebrador de gelo era usado, basicamente,  para levar turistas ao Polo Norte. Mais tarde, participou de uma expedição de pesquisa dos efeitos do aquecimento global no Ártico.

Iamal

O “Iamal” foi planejado em 1986, mas começou a ser usado somente em 1993. Seu nome original era “Revolução de Outubro”, mas, após a dissolução da União Soviética, ele foi batizado em homenagem à peninsula de Iamal, no extremo norte da Rússia.

A embarcação foi desenvolvida para quebrar pedaços de gelo entre 2,5 e 2,9 metros de espessura. Ela pode se mover tanto para a frente quanto para trás e, apesar de ter mais de 23 mil toneladas, pode alcançar uma velocidade de quase 40 km/h.

Em 2009, o navio participou de uma missão de resgate de um grupo de arqueólogos no arquipélado Sévernaia Zemliá. O “Iamal” é decorado com dentes de tubarão pintados no casco.

50 Anos de Vitória

Até pouco tempo atrás, o navio “50 Anos de Vitória” (em comemoração ao triunfo sobre a Alemanha nazista na Segunda Guerra Mundial) foi o maior quebrador de gelo movido a energia nuclear do planeta. Mas a Rússia construiu, recentemente, duas embarcações do tipo ainda maiores.

A construção do “50 Anos de Vitória” começou em 1989, mas ele não iniciou suas atividades até 2007, devido à falta de investimentos. O navio tem a forma incomum de uma colher e, por ocasião dos Jogos de Inverno de Sotchi, carregou a Tocha Olímpica até o Polo Norte, em outubro de 2013.

Veja aqui os maiores e mais poderosos quebradores de gelo do mundo.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? 
Então assine nossa newsletter semanal ou diária.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies