Espécie desconhecida e extinta de lebre é descoberta em caverna remota na Rússia

Lebre-assobiadora

Lebre-assobiadora

airboy123/Visualhunt
Análise laboratorial mostrou que restos mortais não pertencem a nenhuma das espécies conhecidas pela ciência.

Um novo gênero de uma espécie extinta de lebres-assobiadoras foram descobertos na reserva natural Terra do Leopardo, na região de Primorie, por pesquisadores do Centro Científico Federal para a Biodiversidade do Solo do Extremo Oriente Russo.

“Os cientistas encontraram restos de lebres-assobiadoras antigas, com idade estimada entre 10.000 e 51.000 anos. A descoberta aconteceu na caverna calcária de Sukháia, localizada a poucos quilômetros da cidade de Barabatch. Os restos foram coletados nas camadas superior e inferior de sedimento no final da caverna de 21 metros de comprimento. A análise laboratorial dos ossos e dentes extraídos mostrou que não pertencem a nenhuma das espécies conhecidas pela ciência”, lê-se na publicação.

A localização da descoberta rompe as crenças científicas sobre esses animais, pois pensava-se que todos os parentes antigos haviam desaparecido há muito tempo.

Lebre-assobiadora

“Todos os membros das espécies semelhantes à lebre-assobiadora foram extintos no início do Pleistoceno [cerca de um milhão de anos atrás]. Nesse sentido, a descoberta de três novas espécies e de um novo gênero endêmico não é o que desperta o maior interesse, mas sim sua presença nas camadas sedimentares do Pleistoceno tardio [126.000 – 11.700 anos atrás]”, diz o professor Mikhaíl Tiunov, do Centro Científico.

“Esta descoberta também sugere que as condições paleogeográficas e climáticas em Primorie no final do Pleistoceno não só permitiram a existência de várias espécies extintas em outras regiões por um período de tempo mais longo, mas provavelmente também contribuíram para a formação de novas espécies”, acrescenta Tiunov.

LEIA TAMBÉM: Filhote pré-histórico é descoberto na Sibéria

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies