Modelo 3D da antiga Palmira, feito por cientistas russos, é entregue a Síria

Andrea Pistolesi/ZUMAPRESS/Global Look Press
Foram necessárias cerca de 55.000 fotos aéreas em alta resolução. Projeto ajudará a reconstruir cidade destruída por terroristas.

Especialistas do Instituto de História Material da Academia Russa de Ciências, em São Petersburgo, apresentaram na semana passada um modelo tridimensional da antiga cidade síria de Palmira ao Departamento de Antiguidades e Museus do país. O objetivo do projeto, iniciado em 2016, é ajudar a reconstruir a estrutura demolida por terroristas.

Segundo os projetistas, trata-se do modelo mais preciso e detalhado do mundo. Durante os trabalhos, os especialistas se deslocaram à cidade para digitalizar os dados.

Cerca de 55.000 fotos aéreas de alta resolução foram necessárias para concluir a iniciativa. O modelo, que consiste em 700 milhões de pixels, permite fazer uma análise detalhada do plano diretor da cidade e contém todo o complexo arquitetônico classificado como Patrimônio Cultural e Mundial da UNESCO.

“Lembrando que, como se trata de um Patrimônio da Humanidade, sua preservação é para benefício de toda a humanidade”, diz a diretora adjunta do Instituto, Natália Soloviova. Por isso, segundo ela, as obras foram realizadas apesar de todos os riscos e dificuldades, “sendo um presente para a cidade, e mais amplamente para o mundo”.

LEIA TAMBÉM: As misteriosas torres do Cáucaso

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies